Diário de Bordo: Cidade da Criança, Natal- RN 5

E para finalizar os posts do Brasil, aqui vai uma última dica para quem tem criança e está em Natal-RN: dá uma passadinha na Cidade da Criança!

   
   
Em uma tarde que estávamos sem muito o que fazer, fomos com nossas meninas neste parque. É um local amplo, cheio de atividades como pedalinhos, playground, bicicleta coletiva, trampolins e etc. Alguns brinquedos,como este último e o pedalinho, são pagos.Além disso, o local imita uma cidade mesmo, com igrejinha, lanchonete e outros, tudo muito bem decorado e cuidado.

   
    
    
   
O Plus fica por conta dos animais, em especial os miquinhos, que sempre me desafiam na hora do click.

   
    
 
Há frutas por todos os lados, é só pegar e se servir.

   
    
 Nós fomos no início da tarde, com o sol ainda quente. É um calorão para poucos, porém, tivemos o prazer de ter o parque praticamente só para nós, além de não pagar pela entrada ( não sei dizer se aquele dia era uma excessão ou se demos sorte mesmo), eu só sei dizer que minhas filhas se divertiram muito e nós fomos muito felizes naquele local.

  
Vale uma visita!
Imagens-Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Ma-Noa e Lagoa de Pitangui, Natal-RN 4

Hoje amanheci saudosa. Enquanto fazia uma tapioquinha para matar a saudade da minha terra, lembrei dos passeios que lá fiz e como me diverti.Felizmente, só tenho histórias bonitas para contar. Durante o passeio em São Miguel do Gostoso, tiramos um dia para curtir o parque aquático de Maracajaú,o Ma-Noa. Não é tão perto, porém, estando em Natal e redondezas, visitar o Ma-noa é tradição.
Logo de cara, aluguel de câmera

  

 Além da beleza do lugar, tobogãs, piscinas para os maiores e menores, atividades com monitores, me chamou a atenção o cuidado dos salva-vidas, sempre em alerta apitando alto cada vez que algum banhista se colocava em perigo.

   
    
    
    
 

A comida não foi lá essas coisas, um trivial só pra matar a fome mesmo, nada demais.

Outro fato interessante, não só no Ma-noa, mas em todas praias que fui: a terra do fio-dental e corpo sarado se rendeu a camiseta bloqueadora solar! E não é só criança que usa não, vi geral curtindo o mar completamente protegido.
 

by Google

 
Realmente é uma mão na roda, pois não é necessário se preocupar com o filtro solar além das áreas expostas, como o rosto e pernas, por exemplo.Chegou, colocou a camiseta, pronto! ( agora, sexy não é.Desculpa a sinceridade, mas a peça é quase como um Crocs na versão roupa de banho. Lembrando que tenho Crocs e esta camiseta também, pra completar a creicice). Eu comprei um exemplar para cada membro da família e eles super aprovaram.

Na volta para Natal, uma passada na Lagoa de Pitangui para refrescar. 

          
Foi um passeio bacana, embora eu não recomende o local por conta da quantidade de gente. É muita informação, brinquedos, barulho e para mim praia boa tem que ser deserta. Nisso São Miguel deu de 1000 a zero, não tinha viva alma para nos encher o saco.

Mas ó, lá tinha Disk-oração: 

o nível da coisa
 

Você quer mais o quê?
Imagens- Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Lagoa de Karranca e São Miguel do Gostoso, Natal-RN 3

Apesar de colocar fotos deste paraíso no mesmo post, deixo claro que são localizadas fora de Natal, em direções oposta.  
A Lagoa de Karranca é um pedacinho do céu recentemente descoberto pela turistada. É um local de difícil acesso, mas tem uma estrutura bacana de bares na beira da lagoa.  

    
    
    
    
 Não tenho muitas imagens de lá porque a maioria mostra meus familiares e nossas crianças, privacidade que infelizmente não dá para dividir sem permissão. No entanto, acho que dá para se ter uma idéia de quão lindo é o local. Recomendo fortemente.

Do outro lado…

  
São Miguel do Gostoso é tudo que aprecio em uma praia. A beleza, limpeza, tranquilidade, livre de barracas e de muita gente. É curioso isso porque o local ainda conserva aquela tranquilidade interiorana, mesmo com o boom de pousadas, destino recomendado para recém- casados e tanta fama.

   
   

    
    
    
    
    
    
  Nós ficamos em uma pousada a beira mar chamada Arte do Velejo, local agradabilíssimo! Um café da manhã delicioso, quartos confortáveis e uma rede na varanda para completar a mordomia.

   
    
    
   
Não tem piscina e não faz falta, o mar na frente enche os olhos e supre todas as necessidades. Além de ser deserta. Era terminar o café da manhã e correr para a praia com as crianças. Banho com a roupa do corpo, sem espectador pra criticar ou ameaçar. 

   
    
    
  
São Miguel foi o lugar que mais me senti segura desde que estive em Natal. Não sei se fui sortuda, mas não vi nem senti o medo no ar. 
À noite, jantamos em um dos variados bares e tapiocarias na rua principal. O primeiro dia, um café rústico, pausa para empadas e pingados. No segundo dia, a tapioca com café fez minha noite mais aconchegante. Queria ter passado mais dias em S.M do Gostoso,relaxar na praia, brincar em paz com minhas meninas, comer comida típica nordestina feita na fonte ( sem gourmetização alguma). A felicidade está na simplicidade.

    
Imagens- Arquivo pessoal 
   

 

 

Diário de Bordo: Atividade Infantil no Parque das Dunas- Natal/RN 3

Se existe algo que me surpreendeu positivamente em Natal desta vez foi a quantidade de atividades para criança. Não estive em todas porque a praia consumiu muito o nosso tempo por lá. Porém, foi muito bacana ir visitar o Parque das Dunas com as meninas.

   
   
Ao chegarmos lá, pagamos um precinho simbólico e seguimos em uma caminhada muito gostosa. O sol estava morno e com tanto verde fazendo as vezes de protetor solar, deixei as meninas correrem livremente no espaço. Pudemos perceber um grande contraste e desfrutar o lugar aliviados, porque em um Brasil tão cheio de regras e proteção, temeroso pela violência, acidente de automóvel ou no mar, eu pude finalmente deixá-las à vontade gastando toda a energia acumulada em seus pequenos corpos e, porque não, descansar um pouco a mente.

   
    
   
   
 
O encontro com animais, brincadeiras no parquinho, escalada nas árvores, pipocas, sorvetes e água de côco na sombra de uma árvore amiga.Muita tranquilidade, conversas ao pé do ouvido e reflexões. Que atividade saudável experimentar a natureza desta forma!!

Parabéns a Natal- RN por ser uma cidade cada vez mais voltada para a necessidade dos pequenos! Tirar a TV e o Ipad delas e substituir pelas brincadeiras em um parque é fantástico para a família inteira!!!Amei e recomendo 👍.

Diário de bordo: Sendo turista no próprio país- Natal-RN 2

É muito estranho como o fato de viver inserida em uma outra cultura poda o ser humano. Eu tenho a essência de ser brasileira, o riso fácil, as expressões corporal, a ginga ao dançar, porém, reconheço a mudança. Ela é ainda mais gritante quando viajo para o Brasil. Por exemplo, já havia mencionado em post anterior sobre a lentidão nas filas de passageiros com alguma prioridade em relação as demais. Depois desta etapa, houveram outros momentos em que eu supostamente não me chamaria atenção caso morasse no Brasil, são eles:
1- Meu pai dirigindo feito louco com duas crianças no banco traseiro e sem a cadeirinha apropriada. Eu tive muito medo da falta de responsabilidade dele. Tive que reclamar ( com jeitinho) porque estava demais!!

2- Trânsito caótico.Pois é, a falta de noção não é só de meu pai, o trânsito é agressivo! Incontáveis vezes meu coração quase saiu pela boca e outras tantas, nosso anjo da guarda foi eficiente demais. Resultado: não dirigi lá.

3- Músicas de cunho sexual. Se você me perguntar qual foi a primeira música que ouvi em Natal, eu vou lhe responder ” Paredão de bunda“, da Banda Grafitte. E ninguém se envergonha pela letra depreciativa, é tudo muito normal. Eu fui criada tendo boquinha da garrafa como canção de ninar, como pude estranhar?

4- Pobreza pós aeroporto. É chocante sair de um aeroporto tão bonito e ver a falta de beleza nas ruas de São Gonçalo do Amarante. Damos de cara com a sujeira embaixo do tapete e percebemos o quanto o RN necessita de cuidados.

5- Falta de segurança. Um item leva ao outro, não tem jeito. Desigualdade, educação deficiente e a necessidade faz a vida virar um inferno! O natalense vive agora em estado de terror, porque não sabe de onde vem o agressor e nem como solucionar o problema. O que mais assusta é que estão atirando por nada. Ano passado mesmo perdemos um conhecido por morte violenta. Enquanto estive lá, uma mulher levou um tiro ao tentar ajudar sua filha a sair do carro tomado por assaltantes. E todo mundo tem uma história triste pra contar, incrível!
Paro por aqui porque chega de tantas queixas e negatividade. Agora cito cinco itens que me fizeram feliz em Natal:
1- Calor humano. Quando moramos por muito tempo fora de nossa terra natal, criamos uma espécie de capa protetora ou uma pele mais áspera. É por isso que receber todo o carinho da família, amigos e até desconhecidos me deixa extremamente sem graça

2-Salão de beleza. Caramba, que delícia que é ter alguém pra te lavar os cabelos, penteá-los, secá-los, alguém pra massagear seus pés, deixar suas unhas lindas e pelo serviço pagar quase nada. Brasileiro luxa e não sabe. Esse tipo de serviço aqui chamamos de spa e custa furtunas!!!

3-Facilidade na comunicação. Foi só colocar os pés em Portugal para me emocionar. Falar a minha língua, ver as livrarias repleta de livros dos quais eu poderia ler sem problema, tudo isso é um verdadeiro descanso para os olhos e mente. Amei!

4- Farol bar. O restaurante da minha infância, maravilhosooo!!! Até hoje tenho na boca o sabor daquele feijão verde com farofa d’água.

5-Espaço Kids no bar. Achei muito interessante essa modinha. Se trata de um espaço com tv, trampolim, vídeo game e tantos outros brinquedos para as crianças se distraírem enquanto os país tomam umas e outras. Testei e foi muito legal! Aqui entre Noruega e Suécia, só me vem a cabeça o espaço kids do Burger King e do Ikea. Super idéia, viu!

Um pouco da Praia de Pirangi pra ilustrar, porque ninguém merece post sem fotos!

 

o caminho da felicidade
  
  
Parada obrigatória no maior cajueiro do mundo!
  
  
o nome já diz tudo
  
coragem, cadê?
 
 
O point de Pirangi.
  
Que roupinha de crochê que nada! Tampinha de garrafa é o novo preto!
  
Tentando escapar da morte
  
Flores pra você
  
oceano
  
Praia de Pirangi
  
Quem precisa de praia quando se tem smartfone?
  
Biscoito da sorte que nada! Picolé da sorte 🙂
 

Imagens- Arquivo Pessoal

Diário de Bordo: Natal-RN 1

Três semanas passaram voando e, apesar de estar de volta ao Ice Paradise, tenho ainda o ritmo brasileiro na cabeça. Para matar a saudade, nada como relembrar os melhores momentos. É por isso que deixarei registrado aqui um pouco de minhas impressões, experiências e dicas, tanto para arquivo pessoal quanto para que sirva de ajuda caso alguém deseje viajar para aquelas paragens.
Vamos começar com a hospedagem:

Eu tenho minha família inteira em Natal e mesmo havendo variadas opções de hospedagem gratuita , eu prefiro a privacidade de um flat. Pode parecer um tanto frio ou impessoal estar na mesma cidade que meus familiares e recusar uma oferta dessas, mas eu acredito que quando vamos com crianças, tudo fica mais complicado. Tenho meus horários, minhas regras e necessito de privacidade, coisa que de modo algum teria em outro lugar que minha casa. Eu também não quero atrapalhar os outros e muito menos desejo ser incomodada, por isso opto por pagar pela independência e liberdade do meu próprio canto. Além de que, desse jeito não fica tão visíveis nossos defeitos e todo mundo gosta um pouco mais de você 😜.Para 3 semanas, um flat bacana com piscina e vista para o mar em Ponta Negra fica por 3.500 dilmas a temporada.

Como disse, eu não gosto de dar qualquer trabalho e, nem que tenha que ficar muito tempo sem viajar, juntando uns tostões, eu prefiro ter tudo alugado do que ser visita mala. Fica a dica pra você que vai ficar na casa de outra pessoa, heim?! Tente ficar menos tempo possível, não mude as regras da casa e incomode o mínimo. Pague por suas coisas e ajude na alimentação da casa, seja com feira, pagando um jantar para os anfitriões e deixando o $$agrado$$ da diarista que vai limpar seu quarto, lavar e passar suas roupas. Nunca se sinta em casa, mantenha seus pertences arrumados, cama e quarto impecáveis.

Dada a dica de ouro, vem aqui a segunda, a Praia do Forte. Tem esse nome porque em suas proximidades há o Forte dos Reis Magos, atração turística que também merece uma visita. Como meu marido já conhecia, ficamos mesmo na praia. Lá, não façam como eu que me arrisquei e levei minha câmera. Ouvi falar depois que o lugar tem muitos furtos e por isso, não era recomendado. Eu já acho que se a pessoa se prepara chegando cedo, ficando em uma barraquinha perto de outros banhistas e deixa em casa os pertences de valor, pode curtir a praia de boa.

   
    
    
   
Lá eu consumi além de uma boa água de côco, um dindin que côco queimado. Que saudades! Acho que ainda era criança a última vez que coloquei um desse na boca.

A nostalgia se fez presente também quando me banhei com as meninas nas piscinas naturais que se formam ao longo da praia. Fiquei lá na água morna procurando siri ou conchinhas do mar.

Na hora do almoço, paramos em um restaurante antigo e bastante popular, o Farol Bar.

   

  É um dos lugares que mais me remete a minha infância, isso porque almoçar lá era de lei. Eu pedi o combo de sempre, por R$ 75,00 vem um prato misto com Feijão verde, arroz, farofa d’ água, macaxeira frita, salada, carne de sol, linguiça, entre outras carnes. Dá para 2 adultos e duas crianças tranquilo e ainda sobra.

  
Minha boca começa a salivar só de lembrar da textura do feijão verde com a farofa d’ água! Fazia muito tempo que não comia tão bem! Fica a dica!!!
Imagens- Arquivo pessoal

Luke 23: Natal em Natal

Aqueles que não conhecem bem minha cidade, terão provavelmente a curiosidade de saber como é o natal em uma cidade chamada Natal. É assim, ó:

  
Brincadeiras a parte (com um fundo de verdade), apesar de ter seu aniversário em 25 de dezembro, não há lá grandes festejos na minha cidade. Claro que os enfeites e luzes estão em seus lugares, tem a programação cultural, shows de artistas locais e nacionais. Porém, nada do naipe de Gramado, por exemplo.O que tem é minha família e este é o motivo mais que especial para mim. 

Estavam todos lá, reunidos na casa do meu irmão, distribuídos entre boa comida, bebida, amigo secreto e visita do papai Noel. Tudo estranhamente feliz, quase como uma despedida. Acho que é tão difícil reunir todos em um só local que sempre temos a impressão de que nunca conseguiremos tal feito outra vez.

   
    
   
Tudo mui cuidadosamente decorado, era muito carinho e capricho da minha cunhada!

   

    
    
    
 Ganhamos presentes lindos, matei a vontade da gordice natalina e curti os meus. Vivi um dos melhores natais de minha vida!

Poder viver isso foi o melhor presente de natal que eu poderia receber. Meu obrigada a todos que se empenharam tanto!
Imagens- Arquivo Pessoal

Luke 22: Viagem para o Brasil

Eis que no último minuto do segundo tempo, pulamos fora do frio e viemos passar o natal na minha terra natal, Natal. É natal demais! Voamos pela TAP, dormimos em Lisboa já sentindo o gostinho do Brasil tanto na culinária quanto na língua e cultura.
 

primeiro contato com o feijão
 
Que saudades! Aterrissamos na terrinha no início da noite depois de um vôo muito tranquilo e confortável. As meninas colaboraram, não houve turbulência, eu estava tranquila, desprendida e bastante agradecida por tudo. Este sentimento funcionou como um dramin e o medo de voar esvaiu-se, tornando a viagem uma experiência bastante agradável. Devo elogiar também a comida do avião, minha nossa!! Até nisso tivemos sorte, estava surpreendentemente deliciosa!Na chegada ao aeroporto, preciso dizer que fomos recebidos de um modo bem brasileiro. Explico:a fila do controle de passaporte se dividia em 3: Fila prioritária, fila para brasileiros ou estrangeiros originários de países do Mercosul e uma fila para estrangeiros. A primeira, digamos que tinha dez pessoas. A segunda, o dobro e a terceira, o triplo. Pois bem, entrei na fila prioritária que EM REGRA deveria ser rápida, já que nela estavam idosos, gestantes, crianças e até bebês recém-nascido.

Porém, tendo apenas um funcionário para nos atender, a fila para brasileiros terminou e na prioritária ainda tinha, tipo, umas 5 pessoas na minha frente. Depois de extinguir a fila, você acha que abriram os guichês para terminar de atender os que mais necessitavam??? Nãooo, começaram a atender os estrangeiros!Simmm!!! E a nossa fila prioritária naquela demora incômoda, sem qualquer serventia.

Me arrependi por não ter ficado na fila normal e na próxima oportunidade, já sei onde ficarei ( fica a dica).

Depois de passar pelo controle, malas em mãos, meus familiares me aguardavam. Abraços, conversas, sorrisos e muitos choques culturais que relatarei nas postagens futuras.

Poder curtir o natal escandinavo e comemorar o natal brasileiro foi um presente e tanto!