Na biblioteca: Harry Potter e a pedra filosofal, J.K. Rowling

E aqui esta a minha primeira leitura finalizada de 2016. 

 

foto: infoescola.com
 
Comecei ainda ano passado, influenciada por minhas sobrinhas que agora vivem a febre Harry Potter. Foi ai que eu pensei ” e por que não? Desde que foi lançado que enrolo pra ler, mas nunquinha que dei uma chance.

A verdade é que eu tenho certa aversão a tudo que é modinha e este livro, além de ainda estar na crista da onda ( céus! Ainda se usa essa gíria?), tem o adicional de ser infanto-juvenil (😴😴😴).

No entanto, quem tanto relutou, não pensou duas vezes em emendar a leitura com o segundo livro, o Harry Potter e a câmera secreta.

  
É um livro bem escrito( a tradutora arrasou!), de fácil leitura, pega o leitor de um jeito quase como feitiçaria, de tão viciante que é. Acho que o sucesso todo é bem merecido e compreendido, é muito fácil se identificar com o Harry e cia.

Mal posso esperar para assistir os filmes! Virei fã do Harry Potter com quase 20 anos de atraso!

Recomendo o livro demais, especialmente pra criança que não gosta de ler.

Na biblioteca: Caétes, de Graciliano Ramos

Dia de colocar a resenha em dia…

  

A história se passa no nordeste, em uma cidade pequena. No início me enfadou um pouco o papo de política, confesso. Não é o tipo de leitura que uma mente cansada como a minha procura. Eu gosto de romance, das mãos trêmulas, da boca seca, do nervosismo, do proibido. E tudo isso a obra dele tem, basta um pouco de paciência (que quase não tive, diga-se de passagem).

O livro foi bom porque me lembra a minha terra Natal, a forma como ele escreve parece que estou a ouvir meus conterrâneos. Tem também a descrição das paisagens, da cidadezinha, das ruas, da igreja, a vizinhança mexeriqueira. Tudo me é tão familiar que me vejo ali, fazendo parte das procissões, das missas, da visita ao presépio (ponto alto da tradição natalina é visitar o presépio na noite de 24 de dezembro).

Porém, eu achei que faltou detalhes da relação de Valério e Luiza. Também gostaria de saber o que se passou durante os dois meses após a morte do Adrião e mais ainda, de ler o mesmo livro, mas na versão feminina. Curiosidade minha porque eu sei que no fim das contas o que foi importante mesmo para o personagem foi se descobrir Caeté, que lá no fundo somos todos tão selvagens e rudes quanto os índios que ele gostaria de escrever em seu romance inacabado.

Avaliação:❄️❄️❄️🔥🔥

Imagem-Reprodução

Na biblioteca: Orange is the new black, Piper Kerman

Ah, a leitura. Eis uma das minhas maiores paixões. Lembro que ainda na infância, devorava os livros que minha mãe me dava ou os que a escola indicava. O primeiro deles foi ” A morte tem 7 herdeiros”, uma mistério infantil que mostra o comportamento dos herdeiros quando se trata de uma herança gorda. Não me lembro de tantos detalhes, recordo apenas que o final é bem surpreendente.

Em se tratando dos clássicos da nossa literatura brasileira, uma obra que me marcou profundamente foi “O Cortiço”. Eu cheguei a fazer um trabalho desenhando a minha interpretação da história. Recebi nota máxima por ele e o professor me pediu para si.

De lá pra cá, foram muitas lidas, algumas não concluídas e outras terminadas, mas a maioria tem um lugar aqui no meu coração.

Por isso, a categoria biblioteca será atualizada cada vez que eu concluir uma leitura, seja ela interessante ou não. É registro, é dica, é resenha que eu espero que seja de alguma utilidade para alguém.
  

Vamos lá a resenha:Esta é uma das raras vezes em que o filme é melhor que o livro. No caso de OITNB, a série.A vida de Piper Kerman não foi nem de longe tão agitada e problemática como na série. Só pra desanimar as fãs do casal ” Pipex”, não há romance entre as meninas na cadeia, não há descrição de briga com a fanática religiosa, não há traição nem grandes emoções. Tudo não passa de sua experiência na cadeia, alguns contos e curiosidades e só.
Eu fiquei desapontada porque eu queria mais detalhes daquele romance, entre outros acontecimentos que eu julgava ser fato real, tipo o Mendez(oh la la).

Leva só um cristal de neve, pelo trabalho de escrever o livro.

Nota:❄️

Imagem- Reprodução