Midsommar molhado na Suécia- 2017

Mais um ano de Midsommar, mais um ano de festejos no dia mais importante da Suécia.

Eu já expliquei um pouco do evento na postagem do ano passado e para não ser repetitiva, deixo aqui o link pra quem quiser se inteirar do festejo e seu significado.

Este ano choveu canivetes. Um desfile de guarda-chuvas que dizia muito bem o quanto os suecos são ligados as tradições. Se faz sol, ótimo! Se não faz, ótimo também! Capa de chuva e guarda-chuva existe pra isso mesmo.

E a típica coroa de flores? Vai em cima do capuz, sem problemas!

No entanto, no dia seguinte, uma ironia! Olha o sol!!!


Aproveitamos para passear na praia em Uddevalla…

Acredite se quiser, a placa abaixo indica um trecho da praia especialmente para cachorros tomarem banho!

As humildes casinhas de veraneio



E assim foi o nosso midsommar! Simples e molhado, mas ainda assim lindo!
Imagens- Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Férias de Inverno na Espanha- Alicante(Final)

Você chegar de viagem cansada e encontrar sua casa impecável é de fazer lacrimejar os olhos. Minha sogra não existe, sério! O sentimento de bem estar só foi substituido por vergonha quando descobri que além de limpar toda a nossa residência enquanto estávamos fora, ela também lavou e passou nossas roupas, o que inclui… minhas calcinhas. As mais feias e mulambentas que não consigo me desfazer por serem incrivelmente confortáveis estavam lá, empilhadas com um esmero que não estão acostumadas. Sabe mendigo quando toma um banho de loja cara?Assim elas estavam e o meu rubor crescia ainda mais quando imaginava a cena de minha sogra manuseando as peças e pensando consigo que nem ela usaria tal “lingerie”. Pqp. Eu preciso esquecer isso pra seguir, então posto aqui como foi o último dia em solo espanhol.

Alicante é um dos lugares mais frequentados pelos escandinavos. Férias? Sol?Praia? Combinação melhor não há.Já virou atê clichê…

É aqui que os escandinavos se encontram e é aqui que é muito em voga ter um apartamento, o que para nós seria casa de praia.

É claro que não conseguimos se quer molhar os pés. Entendemos que o fato do mar estar vazio não significava boa coisa. Nos mantemos como mero observadores e mesmo assim foi um programa incrível para minhas meninas. Corridas, brincadeiras na areia e em um playground fizeram o dia delas. 


E pelo que percebi no pouco tempo que lá estive, a vibe é outra. Meio Ibiza, sabe? O que tinha de turma fazendo despedida de solteiro ali não deu pra contar. ⤵️


De ponto turista, conhecemos o Castelo de Santa Bárbara, a Caverna de Canelobre , a rua dos cogumelos e a praia de Postiguet.

O tourão feminista!

( El Machismo mata)

Vista do Castelo de Santa Bárbara


A Caverna



Mais da cidade



Um encanto de viagem!

Imagens-Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Férias de Inverno na Espanha- Benidorm 2

Depois de muito bem acomodados e dos agitos em Guadalest, tiramos o dia para relaxar.Após uma caminhada de poucos minutos de nosso hotel, a tão esperada praia…

Mas não se engane. Apesar do sol e das minhas meninas usarem roupas leves, olha a realidade da coisa:


Toda empacotada sim porque não sou obrigada a passar frio. Uma vez nordestina, sempre nordestina, rs. A areia estava geladinha e a água, impossível por o pé. E isso é lá agum impedimento para fazer farra?

Cadeira a 4,50 euros, quem quer?

É muito gostoso observar as minhas meninas em seu mundinho lúdico. Entre areia e conchas marinhas disputadas como pepitas de ouro, tivemos uma manhã preguiçosa e aconchegante. 


Abaixo você vê a Benidorm da terceira idade. Aqui encontramos mais turistas que espanhóis, sem brincadeira! Uma cidade toda adaptada para o bem estar do idoso.



Empresa que aluga scooters e tricículos motorizado.

Espanha está de parabéns!👏🏼👏🏼👏🏼
Imagens-Arquivo pessoal

Diário de Bordo:Férias de Inverno na Espanha- Benidorm

Eu queria ter concluído os diários de Estônia e da Finlândia, mas a vida anda corrida.E eis que estou na estrada de novo e gostaria de fazer postagens in loco para ver se assim consigo levar os relatos até o fim, da forma mais fiel possível.Que assim seja! Vou tentar.Os outros diários terão que esperar mais um pouco, vamos lá: eu vim parar na Espanha!!!! 

Cata só as primeiras imagens de lá…


Tudo é só montanha amarela! Uma paisagem muito interessante!

Estou hospedada em uma cidadezinha praiana chamada Benidorm.Ela fica entre Alicante( onde desembarquei) e Valência e vive apenas do turismo, de modo que não existe uma programação cultural muito forte. Aqui é mais praia, festa, bares, danceterias e um strip club a cada esquina. 

Também não posso esquecer os parques temáticos e zoológicos, tudo é muito bem pensado para atender as necessidades dos turistas. Se famílias, crianças e jovens festeiros são bem vindos e esperados, os idosos aposentados são os principais apreciadores, consumidores e, porque não dizer, moradores daqui. Ouço muito falar sobre os idosos que abandonam a escandinávia para terem uma qualidade de vida maior aqui na Espanha. Sol, praia, caminhadas, atividades física, boa alimentação, bares e todo o conforto que o dinheiro pode comprar fácil. Isso é que é vida, minha gente!

Céu azul, sol, palmeiras, comida, piscina e pãzinho de coração, preciso de mais nada.

Enquanto isso, na Noruega…


Colar de beijos, 💋💋💋💋💋!!!!

Diário de Bordo: Desbravando a Letônia- Parte 2

Eu vou pular a parte histórica porque não sou obrigada e porque o Wikipédia está ai pra isso mesmo. Digo logo que pelo pouco que eu vi da cidade, estou encantada. Um lugar limpo, de gente muito bonita, mulheres finas, magras e loiras que fazem supermercado de salto alto,homens elegantes, muito verde, florestas, lagos e muitos velhinhos de bicicleta. Tá certo que a simpatia não é lá a melhor qualidade dos nativos, especialmente os mais velhos tem uma tromba daquelas.Faz até mais frio que em Oslo, afff! Sol é só de enfeite por aqui, portanto, caso deseje visitar estas paragens, tem que ter casaco na jogada.Outra coisa que me deixou impressionada foi o trânsito. Filas e mais filas pra entrar e sair da cidade, como pode? Era uma soneca que eu tirava cada vez que voltávamos pro hotel, não tinha jeito.

Nossa primeira expedição exploradora foi em um museu a céu aberto aqui perto do hotel. 


Lá pudemos conhecer um pouco da história Letã com suas casas antigas, igrejas, área de trabalho, máquinas e até os próprios cuidadores/ funcionários vestidos-se à moda antiga. 


Eu adoro esse tipo de programa que envolve caminhadas, um pouco de história e muita natureza. As minhas meninas puderam correr livremente, provar das frutas da estação, brincar com árvores, folhas, flores e insetos…


E por lá passamos o dia, sem pressa de ir para casa, sem estresse ou maiores cuidados, só curtindo a paisagem.


Apesar de ter um restaurante no local, decidimos por almoçar no Zalais Maksis.É um restaurante muito bem decorado com funcionários gentis e comidas deliciosas. 



Atento para a rapidez em que os pratos chegaram e os cafés que recebemos de cortesia! 
De lá, fomos aproveitar o resto do dia ensolarado na praia.


 Só que a maré não estava pra peixe, quer dizer, pra gente! Uma ventania, um frio, ondas nervosas me expulsaram dali rapidinho, não durei 10 minutos por lá. 

Repara na brabeza do mar:


No entanto, filha de viking, viking é:

A filha mais velha firme e forte na água! Sogrão e meu boy também encararam.Programa foi furadíssimo, nunca imaginei que ali fosse o paraíso do Kitesurf!

Num volto mais…

E foi assim que finalizamos o primeiro dia.
Imagens- Arquivo pessoal

Biquini Escandinavo

Acho que não é mais novidade o quanto o biquini estrangeiro é contido. Cobre toda a retaguarda e como se isso não bastasse, aqui é modinha usar um shortinho ou saia, de modo que as partes ficam completamente cobertas. 


Fotos da ellos.no

No entanto, se a parte debaixo é muito bem escondida, a parte de cima some. Algumas nativas gostam de colocar os peitos pra jogo e não é raro dar de cara com topless nas praias daqui. Agora apareça com um biquininho brasileiro pra ver o que acontece….


Foto mercado livre

Já ouvi histórias de gente sendo retirada de clubes ou spa por conta da indiscrição da bunda brasileira, hehehe!Abafa!

Eu comprei este na Kappahl

Eu vou te contar, já estranhei muito essa modinha. Só que, depois quase 10 bons anos morando aqui, os olhos se acostumam e hoje eu acho muito confortável o sunquinão.Até porque, tendo crianças pequenas e existindo a possibilidade de ter que carrega-las esperneando em momentos de crise, é bom saber que as vergonhas estarão mui bem guardadas. E se a depilação não estiver em dia também 🙂

Diário de Bordo: Lagoa de Karranca e São Miguel do Gostoso, Natal-RN 3

Apesar de colocar fotos deste paraíso no mesmo post, deixo claro que são localizadas fora de Natal, em direções oposta.  
A Lagoa de Karranca é um pedacinho do céu recentemente descoberto pela turistada. É um local de difícil acesso, mas tem uma estrutura bacana de bares na beira da lagoa.  

    
    
    
    
 Não tenho muitas imagens de lá porque a maioria mostra meus familiares e nossas crianças, privacidade que infelizmente não dá para dividir sem permissão. No entanto, acho que dá para se ter uma idéia de quão lindo é o local. Recomendo fortemente.

Do outro lado…

  
São Miguel do Gostoso é tudo que aprecio em uma praia. A beleza, limpeza, tranquilidade, livre de barracas e de muita gente. É curioso isso porque o local ainda conserva aquela tranquilidade interiorana, mesmo com o boom de pousadas, destino recomendado para recém- casados e tanta fama.

   
   

    
    
    
    
    
    
  Nós ficamos em uma pousada a beira mar chamada Arte do Velejo, local agradabilíssimo! Um café da manhã delicioso, quartos confortáveis e uma rede na varanda para completar a mordomia.

   
    
    
   
Não tem piscina e não faz falta, o mar na frente enche os olhos e supre todas as necessidades. Além de ser deserta. Era terminar o café da manhã e correr para a praia com as crianças. Banho com a roupa do corpo, sem espectador pra criticar ou ameaçar. 

   
    
    
  
São Miguel foi o lugar que mais me senti segura desde que estive em Natal. Não sei se fui sortuda, mas não vi nem senti o medo no ar. 
À noite, jantamos em um dos variados bares e tapiocarias na rua principal. O primeiro dia, um café rústico, pausa para empadas e pingados. No segundo dia, a tapioca com café fez minha noite mais aconchegante. Queria ter passado mais dias em S.M do Gostoso,relaxar na praia, brincar em paz com minhas meninas, comer comida típica nordestina feita na fonte ( sem gourmetização alguma). A felicidade está na simplicidade.

    
Imagens- Arquivo pessoal