Na Biblioteca: Notas do Subsolo, Fiódor Dostoiévski

Na Biblioteca: Notas do Subsolo, Fiódor Dostoiévski

https://theiceparadisedois.wordpress.com/2019/02/25/na-biblioteca-notas-do-subsolo-fiodor-dostoievski/
— Ler em theiceparadisedois.wordpress.com/2019/02/25/na-biblioteca-notas-do-subsolo-fiodor-dostoievski/

Anúncios

Na Biblioteca: Clube da Luta, de Chuck Palahniuk


Pensa-num-livro-maravilhoso!! E, ao contrário do que eu imaginei de início, a história no fundo tem a ver com tudo, menos com luta. Tem a ver com fulga. Tem a ver com que nem tudo que parece, é. Você confia nos seus sentidos?Medo!
O livro conta a história de homem entediado com sua rotina e vida sem grandes desafios. Criou com seu amigo um clube da luta para sair de si.


 Se pela manhã ele era um simples funcionário de escritório, à noite ele extravasava no clube. Mais não conto porque estragaria a BIG surpresa. Você só precisa ter em mente uma coisa: nada do que parece, é. 
Alguns trechos que achei interessante:

“Não sou o único escravo do instinto doméstico. Conheço pessoas que já se sentaram na privada com uma revista de sacanagem e hoje se sentam com um catálogo da IKEA.”


Depois de ler este livro, você nunca mais comerá em um restaurante sem sentir certo desconforto:


”Voltando ao hotel, estamos no elevador parado entre dois andares, conto a Tyler que escarrei em cima da galantina de truta da convenção dos dermatologistas; três pessoas me disseram que estava muito salgada e uma achou deliciosa.”


“Na semana passada foi mais grave. Na semana passada foi o couro do estofamento tratado com uma substância reconhecidamente teratogênica, o Nirret sintético ou qualquer coisa igualmente ilegal que ainda é usada em curtumes do terceiro mundo. É tão forte que é capaz de provocar defeitos congênitos no feto da mulher grávida que entrar em contato com ele. Na semana passada, ninguém ligou para o Departamento de Entregas. Ninguém iniciou um recall.
O couro novo multiplicado pelo custo de mão-de-obra multiplicado pelos custos administrativos é maior que o nosso lucro no primeiro trimestre. Mesmo que alguém descubra o nosso erro, podemos indenizar muitas famílias enlutadas e não chegar nem perto do que custaria para reformar os 650 estofamentos de couro.”


Quando Tyler inventou o Projeto de Ações Violentas, ele disse que o objetivo do projeto nada tinha que ver com outras pessoas. Tyler não se importava se alguém saísse ferido ou não. O objetivo era que cada homem do projeto aprendesse que tinha o poder de controlar a história. Nós, cada um de nós, podíamos assumir o controle do mundo.
Foi no clube da luta que Tyler inventou o Projeto de Ações Violentas. “

Viva o clube da luta!Mais um livro favoritaço!!!!Assisti o filme e também recomendo fortemente!

E a trilha sonora LINDA:

Imagens- Reprodução

Na Biblioteca: Como eu era antes de você, de Jojo Moyes

Dias lindos, para fazer o que quiser.Sim, eu curto as férias devagar, como se degustasse um doce muito fino e exclusivo. Ora faxino aqui, ora assisto um filme ali, ora coloco a leitura em dia, ora, ora, ora. Não me falta ora, rsrs! Ontem mesmo, acabei de ler “Como eu era antes de você”…

O livro lindo e o brilhinho da semana. Uma lida entre uma esmaltada e outra…


Nem vou fazer resenha nem nada porque, né, quem a esta altura já não leu o livro/viu o filme? Ok, eu levei 1 ano para concluir tudo, mas é porque não é muito o meu estilo. Eu acabava por priorizar outras obras e só agora tomei vergonha na cara pra finalizar as leituras que deixei pela metade . Não me arrependi dele, muito pelo contrário, confesso que até chorei no final. E pra um livro me levar às lágrimas, olha, tem que me tirar da terra. Acho que é porque a história do Will é muito comovente. A gente passa por cadeirantes na rua e não imagina as dificuldades que aquelas pessoas enfrentam. Tantos os que nasceram com alguma deficência física como os que adquiriram depois de terem uma vida bem ativa,  é muito tocante a situação. Eu pensei logo naquele humorista brasileiro que ficou tetraplégico em um grau tão alto que só os olhos davam sinais, o Shaolin. E o que dizer de Schumacher? Esquiando em um dia e no outro nem se mexia mais. A vida muda bruscamente e eu só posso dizer que no caso do personagem, ele foi muito corajoso em sua decisão. 

E ai, como se não bastasse chorar com a leitura, me submeti a mais  sofrimento: fui assistir o filme baseado na obra. Engraçado que eu não tinha imaginado a Louisa Clark daquele jeito, meio abobalhadona. E que atriz cheia de expressões, heim? 


Minha nossa, ela fala com todos os poros, olhos e linhas de expressão, incrível!Além disso, reparei nas suas “roupas ridículas”, que de ridículas não tinham nada. 


Quero imitar tudo!

Muito graciosas, até a coleção dela da Irregular Choice é apaixonante. Pra quem é de família humilde e não nada em grana, o guarda-roupa tá muito bom, heim? Mas não condiz com sua realidade.

No geral, achei um bom livro pra se ler nas férias, daqueles que nos fazem relaxar de verdade. Se você gosta de chorar, super vale a leitura. 

Pontuação ❄️❄️❄️

Imagens- Reprodução

Na Biblioteca: O crepúsculo dos Ídolos, Friedrich Nietzsche

Eu me apaixonei pela filosofia!Havia estudado alguns filósofos na época da faculdade de direito, mais de dez anos atrás. E é claro, era uma tal filosofia voltada para o direito, nem se compara a dissecação que fiz semestre passado.A introdução à filosofia da UiO foi tão boa que me deu asas para voar mais alto, vontade de encarar saltos profundos e malabarismos mais elaborados.

E assistindo/ouvindo as aulas do Professor Clóvis de Barros no youtube enquanto fazia atividades domésticas em casa, fez crescer em mim uma curiosidade sobre Nietzsche. Decidi que daria uma chance ao cara e comecei pela obra que me foi aconselhada:


Não foi um livro fácil de ler porque me faltou mais bagagem. Ele se refere a um bando de outros pensadores do qual eu nem tinha conhecimento e precisei pesquisar para saber o que danado ele estava rebatendo com tanta veemência. Alguns eu “garrei” amor e já baixei suas obras para futuras degustações. Isso significa que terei que reler o crepúsculo dos ídolos novamente, para poder compreender a fofoca toda, já bem sei.

O livro rebate vários pensadores, de Platão a Schopenhauer, o cristianismo e tantos outros valores e temas. Me fez ver as religiões com outros olhos e o processo de iluminação cá por dentro foi atualizado com sucesso.

Se você manja de filosofia, aconselho a leitura e o estudo deste pensador. Só uma advertência: é uma ida sem volta.

Imagem-Reprodução