A calma outonal

Chegou. Já não conseguimos dormir sem o aquecedor. As folhas começam a cair, o céu a escurecer e a chuva cada vez mais presente. A ventania, o silêncio, a floresta molhada e misteriosa. 

No chão, cogumelos de todos os tamanhos e cores. Uns comestíveis e outros venenosos, todos lindos e vistosos. 

No prato, sopa de cebola. No colo, a literatura do semestre. Eu gosto da calmaria do outono. Do encontro com meu eu que esse período me proporciona. Da calma.
Me faz voar em pensamentos, alguns nem tanto apropriados, mas ainda assim. Coisa que fica cá comigo e que se não fosse a situação quase anônima do blog, eu não partilharia por aqui. Tipo… porque é tão difícil fazer número dois em locais públicos? Ontem, na academia, foi sofrimento. Uma conhecida estava no vestiário e eu precisava me desfazer do almoço, se é que você me entende. Sendo que ali existe apenas 1 banheiro concorridíssimo e me concentrar sabendo que tem alguém lá fora atenta me dá muita aflição. O resultado é um trabalho fracionado, o que atrapalha o treino terrivelmente.

E já que o assunto é em torno das necessidades fisiológicas dos seres humanos, eu preciso dizer, ô coisa triste fazer polichinelo ou pular depois de parir duas filhas. Percebi a duras penas que preciso usar fraldas a cada treino!Urgente!!!

Escatologicamente falando, eu ainda sou daquelas que não faz as necessidades na frente do marido. Ele não liga a mínima e senta no trono sem cerimônias. Eu é que fecho os olhos e peço pra ele encostar a porta, porque ninguém merece né. Pois bem, ele sempre sai para trabalhar muito cedo, de modo quando acordo, posso liberar um torpedo sonoro sem medo de ser feliz. Nele vai toda a repressão, o controle e as amarras sociais que diz que mulher não pode peidar, arrotar nem cagá, avalie a violência do estrondo. O sorriso de alívio vai até a hora que percebo que ele ainda está tomando o seu café da manhã na cozinha e coooomm certeza ouviu aquele hino de liberdade matinal. As opções não são muitas. Culpar a filha número 1? A filha número 2? O cachorro? Colocar uma cara de emburrada porque a culpa foi dele por ainda estar ali (x)!!!!
Ok, chega de revelações outonais por hoje.
Imagens- Arquivo pessoal

Anúncios

Diário de Bordo: Clube da Luluzinha na Hungria, Budapeste-Parte 1

Primeiro de tudo, qual é a chance de fazer uma viagem para Budapeste e depois saber que por lá também estava passeando uma blogueira querida? Eu fiquei em shock quando ela contou por onde andou ( só falta os relatos do lugar, post que já espero ansiosamente).

Pois bem, todo ano eu me dou ao luxo de fazer uma pequena viagem com as amigas. Nada muito doloroso para a família, já que saio na quinta e volto no domingo. Apenas o suficiente para conhecer um novo lugar, passear, conversar com as amigas sem ser interrompida pelas crianças, enfim, relaxar.

Assim que chegamos em Budapeste, seguimos para o nosso hotel. Ele se chama Aria e era muito confortável e belo.

Detalhe do quarto

De fora você não dá muito por ele, porém, por dentro é perfeição. Além de todo o UAU, ele tem um terraço maravilhoso que sempre lota de visitantes.

Super dando close

A fabulosa vista do terraço: a Basílica de Santo Estevão⤵️


O atendimento foi nota 1000!Os funcionários sempre nos perguntando se está tudo bem, se precisamos de ajuda ou oferecendo um vinho, dicas para as melhores atrações, um cuidado genuíno.Não posso esquecer de mencionar a piscina, ofurô, sauna e a sala de ginástica( esta eu não fui pois já caminhava bastante durante o dia).


O que não seguiu o alto padrão foi o café da manhã. Eu não sei se é porque sou acostumada com acomodações simples, porém, com aquele café da manhã farto que enche até a hora da janta, mas eu acho que ali faltou variedade. Tudo muito fino, pouquinho e contido.

Área do café da manhã. Neste mesmo espaço é servido vinho e queijos com música ao vivo no fim da tarde.



Em seguida, fomos fazer um free walking tour e este não me encheu tanto os olhos…


Foram longas caminhadas com poucas informações interessantes.E é claro que o calor atrapalhou. Eu, brasileira, nordestina, fiquei passando mal com aqueles 38º. Dava fraqueza, tristeza e a vontade de explorar era nula dentro daquela sauna, rsrs!

O calor estava tão insuportável que vi muita gente se banhar nas fontes. Quem não tinha essa coragem, se aliviava debaixo dos vaporizadores espalhados pela cidade, como este abaixo…< strong><<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<
No outro dia, optamos pelo passeio no Red bus (Hop on-Hop off). Ao menos não precisaríamos caminhar, né? Teria também o suposto ventinho no ônibus, hummmm, que maravilha!

Nos próximos capítulos eu conto mais, combinado?

Imagens-Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Férias na Legoland-Dinamarca, Billund

Este ano optamos por tirar férias de verdade somente em dezembro, de modo que o nosso verão se resumiu a apenas uma semana de folga fora (o resto passei com as meninas em casa enquanto o love trabalhava). Escolhemos um lugar voltado especialmente para diversão de nossas meninas e aqui na Escandinávia não há melhor lugar que Billund, na Dinamarca.

De Oslo, o vôo leva menos de 1h e para nossa sorte, o aeroporto é ao lado da Legoland. Um taxi nos levou a nossa hospedagem em um resort chamado Lalandia (que fica em frente a Legoland). Ficamos em uma casa espaçosa, confortável e totalmente equipada, um alívio para quem tem crianças pequenas cheias de energia. A vizinhança tranquila era uma liberdade em todos os sentidos. Poder abrir as portas e assistir de dentro as meninas brincarem no jardim, sem a preocupação de carros é mesmo um descanso.

Esse tipo de satisfação nos fez decidir investir em uma mudança em nossas vidas, mas isso é papo para um próximo post.

A nossa “choupana” ficava a uns 10 minutos de caminhada dos parques, tanto Lalandia como Legoland. Era muito bom fazer o trajeto a pé porque as meninas gastavam a energia já ali, além da colheita de morangos em todo o percurso.

Caso estivéssemos cansados, era só pegar o trenzinho que passa a cada meia hora.

Legoland

Minhas meninas não falavam em outra coisa a não ser a visita a este parque lindo. Chegamos às 11h sem muitos planos e apesar de muita gente, as filas estavam tranquilas nos brinquedos mais simples. Isso quer dizer que para as crianças maiores é mais vantajoso comprar o express pass e pular a fila de 40 minutos da montanha russa. As minhas ficavam satisfeitas com os trenzinhos, barquinhos e outras atrações mais leves.

É um parque lindo e muito bem decorado. Todas as figuras construídas de Lego piram o cabeção de quem é fã do brinquedo. E falando nisso, sabia que o inventor do Lego é Dinamarquês? Sabia que a Legoland faz tanto sucesso que foi construído um aeroporto internacional em Billund só pra dar conta dos turistas?Incrível!!!

Na hora do rango, comemos em um self service familiar logo na entrada. Comida variada e boa, fica a dica.

Lalandia

Depois de dois dias intensos na Legoland, era a hora de curtir um pouco a Lalandia. Dentro do resort tem de tudo, restaurantes, supermercados, parquinho, parque aquático, boliche, fazendinha e tantas outras atrações que se quer tivemos tempo de visitar.

Restaurantes

O que fez mais sucesso foi o parque aquático. Ele é fechado, então não tem tempo ruim. Tem tobogã, piscina com ondas, piscina pra criancinhas pequenas, sauna, lanchonetes, tudo!

O parque aquático do lado de fora. É do ladinho do aeroporto! Adoooroooo!!!

Agora, sejamos sinceros

É um programa incrível pra criança, não posso negar. Única coisa que quero alertar aqui é a necessidade de muita atenção, paciência e comprimidos para dores de cabeça, porque no final do dia minha testa estava em chamas. É muita, muita gente e pra completar, as crianças piram de uma forma quase que incontrolável. Eu acho que vou esperar que elas cresçam um bocadinho mais antes de me aventurar de novo por lá. A cabeça agradece, rsrsrs!!!!

Imagens-Arquivo pessoal

O vestido azul

Anos de insatisfação, mais precisamente uns cinco. Me doei a maternidade, ao trabalho, aos estudos. Estresse, ansiedade, coisas de quem tá vivo. Como consequência, na balança tinha quase 100kg e eu não quis acreditar nos meus olhos. Eu já não tinha roupas para usar. Me escondia de fotos e filmagens. Ficar nua na frente de alguém? Nem da minha mãe. Eu não queria saber de balança porque o chocolate e o chips me traziam um bem estar incrível.

O momento em que tudo mudou foi quando eu estava em uma espécie de parque fechado com atividades para crianças. Lá tinha sofás e eu e meu marido estávamos brincando de empurrar um o acento do outro ( cadê a maturidade?). Eu conseguia empurrar o sofá dele, mas quem disse que ele conseguia empurrar o meu ? Eu estava me sentido a fortona, mas ele cortou o meu barato dizendo que isso nada tinha a ver com força e sim com o (meu) peso. E foi tomando coragem pra conferir quanto de fato eu tinha acumulado que eu cai na real. Constatei triste que nem quando estive grávida de 9 meses pesei tanto.

Decidi buscar ajuda. Procurei artigos e livros sobre reeducação alimentar, sobre os treinos e combinações de alimentos que saciam. Cortei o açúcar, a carne( pq eu só comia o pior tipo: salsicha e carne moída), também deixei de consumir arroz e pão branco. Mudei de academia e passei a frequentar aulas em grupo. Me apaixonei por esta vida fit. Faltando 2 semanas para três meses de RA, emagreci 10 fucking quilos.💪🏽🤙👌🏼🎊🎉🎈

Foi fácil? Foi não e ainda não é!Cada dia um desafio diferente. No início, a barriga roncava de fome acostumada com as porções gigantescas. Tive um deslize ou dois, até eu aprender que devo manter delícias lights na geladeira para momentos de crise.Teve muita gente chata da dieta tentando me fazer perder o foco e esse eu acho que de longe foi o desafio mais penoso. Eu tive que praticamente doutrinar certas pessoas, explicando todos os motivos pelo qual eu precisava emagrecer e que já é uma mega ajuda se a pessoa não insiste. Vi gente me provocando com sorvetão de chocolate e outras sobremesas, só pra me fazer cair em tentação. Pra você ver como a turma do contra é persistente, hoje recebi uma foto de um belo bolo de chocolate. A pessoa escreveu na foto que estava pensando em mim. Sacanagem ou brincadeiras a parte, a essas pessoas eu tenho uma homenagem secreta: o meu vestido azul maravilhoso que eu nunca tinha usado por não me entrar, hoje ele fechou o zíper nas costas bem facilmente!

A alegria que senti este momento histórico em minha vida é algo que me motiva até mais.

Eu posso imaginar que eu esteja sendo uma chata fitness( hahaha, sobre esse tipo eu posto numa próxima oportunidade) optando por alimentos magros e evitando bebidas alcoólicas e outras gordices, mas ao menos eu não insisto para que os outros façam isso. Também gostaria que o resto do universo tivesse o mesmo respeito. Como não é possível, vai da minha força de vontade extra que é entrar na calça jeans da época de solteira. Me aguarde, bebê!!

Imagem-Reprodução

Olhos marejados de amor

Cada vez que leio notícia de um atentado/ morte violenta, me dou conta do quanto que a vida é frágil. É nesse momento que orgulho, ostentação, mania de grandeza, vaidade, competição descem pelo buraco do esgoto e o que sobra é a vida sem aquela pessoa. O que importa o resto se ele/ela não está mais aqui? E os planos?Os sonhos? E a rotina de antes? Pensando em especial no garotinho Julian, como não fazer sua lancheira da escola? Como não preparar o seu material? Como assim brinquedos intocados, cama feita e casa arrumada? Como viver em um ambiente sem barulho, sem a gargalhada, sem toda aquela vida? Eu tenho duas meninas justamente nessa faixa etária incrível e me solidarizo com a mãe que ainda luta por sua vida no hospital. Me solidarizo por todos que já perderam um ente querido e que carregam o nó na garganta. Eu carrego o meu desde os 9 anos, quando perdi um irmão de 4 anos. Quando penso nele, dói como naquele dia.

Imagem- Arquivo pessoal

Diário de Bordo: o que é que a Irlanda(do Norte) tem?Belfast-Parte final

Chega ao fim a série de posts sobre a Irlanda. No meio das férias escolares, tendo passado a manhã inteira cozinhando, limpando e cuidando das meninas, acho uma delícia lembrar de dias tão lindos e relaxantes.

Pois bem, como mencionei antes, não ficamos muito tempo em Dublin e muito menos em Belfast, a capital da Irlanda do Norte. Porém, tendo a oportunidade de ao menos dar uma boa olhada na cidade, não pensamos duas vezes em contratar os serviços guiados em um ônibus de turismo.

Museu do Titanic

Eu queria ter visitado seu interior, parece muito interessante. Não deu tempo 😦

O Muro da Irlanda do Norte. Ele separa a região católica da parte protestante. Apesar de não ter uma isolação total, já que é permitida a passagem durante o dia, à noite os portões se fecham às 19h.


Foi cerca de 2h de viagem, meio que um bate e volta mesmo. Como iríamos visitar outras paragens, o tempo no centro foi mega curto, mas deu pra sentir um pouco da cidade e despertou a maior vontade de voltar lá.

O Museu da República Irlandesa

Brasil bombando em Belfast! Quem diria!🇧🇷

A prefeitura de Belfast. É uma prédio imponente, decorado e muito bonito, tanto por dentro como por fora.

Mais do City Hall de Belfast


Os vitrais do City Hall

Decoração típica nas janelas das residências

A caminho de Dublin, uma parada rápida na Igreja de St. Patrick. Assistimos a um filme sobre a história do local, conhecemos o interior da igreja e seguimos viagem…

Conhecemos também as ruínas do Castelo Dundrum

E um cafezinho no final, para recarregar as energias.

Foi uma viagem incrível. Eu amei a oportunidade de passear por Belfast, mesmo que por tão pouco tempo. Da próxima, já sei que é necessário pelo menos 3 dias pra curtir o turismo com calma. Não vejo a hora de voltar!

Imagens-Arquivo pessoal

Essa tal liberdade

E o que é que eu vou fazer com essa tal liberdade? Hoje, primeiro dia de aula das crianças depois de três semanas de férias. Comentei com meu marido o quanto era esquisito levar as meninas pra escola depois de estar com elas todos os dias. Da mesma forma que foi abdicar da minha liberdade para tê-las em casa o tempo todo, agora também estranho o excesso de tempo e a falta que elas fazem. Nos habituamos a tudo mesmo. Logo começarão minhas atividades na universidade e a correria louca para acompanhar o curso, logo eu não terei tempo de lamentar a falta delas, mas eu quero deixar registrado aqui o quanto eu curti este tempinho que passamos juntas…


❤️

Imagem- Arquivo pessoal

A Chata da Dieta

Eu já havia lido em algum lugar o quanto as pessoas ao nosso redor podem ajudar ou simplesmente minar uma dieta. Se comida une pessoas, imagine bebida. Uns bons drinks tornam meros estranhos em melhores amigos, fato. Por isso, quando um dos nossos recebe um chamado e procura levar uma vida mais saudável é logo criticado e crucificado, chamado de tolo ou doente, manipulado de todas as formas para comer ao menos um pedacinho daquele bolo de chocolate açucarado e coberto por leite condensado em forma de brigadeiro.


Ei, você que faz esse tipo de coisa, você é a chata da dieta. Pare, reflita e tenha compaixão. Reconheça que você nada sabe sobre a vida daquela pessoa que decidiu tão corajosamente mudar de vida e que luta todos os dias contra tentações. Você não sabe que aquela pessoa quase chegou a 100kg ou se já pesa mais que isso, você muito menos imagina que aquele ser humano tinha cefaléias diárias por conta da comida gorda e do sedentarismo. Aquela pessoa, sabe Deus se estava com os dias contados para um infarto ou qualquer doença malígna causada pelo sobrepeso. VOCÊ NÃO SABE QUE AQUELE PEDACINHO DE BOLO QUE VOCÊ INSISTE EM OFERECER PODE LEVAR TUDO A PERDER. Pode fazê-la desistir.Não é que o pedacinho engorde horrores, é o que vem depois:o vício no açúcar e na farinha.

Não é fácil estar nessa posição. A galera tem a maior simpatia por quem decide largar as drogas, apoia quem vai pra Rehab ou encontros do AA, mas faz pouco de quem tá de dieta sem um motivo relevante. Eu me recuso a esperar a diabetes chegar pra mudar de vida. Sinceramente eu decidi não me abrir tanto sobre isso justamente porque se a pessoa sabe que você está de dieta, faz de um tudo para você voltar atrás. Muito diferente de dizer que não quer aquele pedacinho de bolo porque acabou de sair de um rodízio de pizza e devorou 19 fatias, incluindo uma pizza de chocolate. Nesses casos respeitam sua decisão.

Pra você que é o chato da dieta, simplesmente PARE. Não é não!Pra você que tá na luta, força! Não se abra muito sobre seu novo estilo de vida, pelo menos no começo, quando ainda estamos fragilizados. Já tenho 1 mês de reeducação alimentar/treinos, 5kg a menos e ó,  é cada tentação inacreditável que chega a ser maldade com um ser humano que só quer evoluir. O bom é que depois de cada momento resistido com bravura, me vem mais força pra continuar. São batalhas que vamos vencendo, mas que seria tão mais fácil se o ser humano respeitasse a decisão do outro! Não pode ser tão difícil, né? Afinal, não estou insistindo por uma porção de salada de frutas, embora fosse muito simpático ter esta opção (hohoho), só estou pedindo respeito.

Diário de Bordo: o que é que a Irlanda tem? Dublin- Parte 4

Dando continuidade às postagens antes que eu esqueça de tudo, aqui vai alguns cliques de nosso último dia na capital e informações sobre o nosso hotel, não exatamente nesta ordem.

Nós ficamos hospedados no Hotel Clayton, uma hospedaria bacana localizada próximo às margens do Rio Liffey. Aviso logo que, para o preço que cobram e a classificação que carregam, deixam a desejar para os padrões brasileiros do que é um hotel quatro estrelas. O quarto em que ficamos não tinha frigobar pra gelaras breja e o café da manhã tinha de tudo, mas era bem basicão. Eu já paguei muito mais barato em um hotel três estrelas na Espanha que comparando com este, mais parecia cinco estrelas! 


Agora, verdade seja dita: era perto de tudo. Fizemos a maioria dos passeios caminhando ou pegando carona nos ônibus vermelhos.
Alguns cliques das redondezas…

A última atração visitada antes de ir embora foi o Museu de Cera. 



 Não importa que eu já tenha feito esse tipo de programa em outros lugares. Eu adoro analisar a perfeição e cuidados com que os bonecos são feitos e acho que cada país tem uma exposição diferente. 


Em Dublin, além das personalidades locais e internacionais, havia também um hotel do terror( que eu não aconselho a entrada de crianças, pelo amor!!!) e um tipo de floresta encantada(?).


Por fim, fomos almoçar em um bistrô muito aconhegante chamado Bach 16. No meu prato, uma salada com queijo e um molhinho doce divino. A pizza do boy, extremamente fina e crocante, também delicioso. Muito bom!

E assim terminou o nosso dia, cansados, mas bem felizes e preparado pra outra avenrura!

Tin tin com café!

Festa Junina Brasileira na Noruega

Antes de tudo, vamos combinar uma coisa?


Ok?

Ok! Agora sim, posso continuar:

Eis um dos momentos mais difíceis de estar longe do Brasil. Eu aguento ficar de fora do carnaval, não tenho problemas com a páscoa e outras datas comemorarivas, mas o São João é complicado. 

Eu lembro logo das fogueiras, das ruas decoradas com bandeirinhas e folhas de bananeiras, das quadrilhas improvisadas cada noite de luar, cada paquerinha que eu arranjava, o quanto tudo era inocente e divertido!Naquela época, aceitar como par era quase como que aquiescer a um pedido de namoro, era uma verdadeira honra!

Estando tão longe disso tudo, a gente se vira como pode. Teve uma época em que eu fazia festa junina com uma conhecida minha, amava preparar cada detalhe. Porém, com as filhotas na área, as prioridades são outras e é por isso que fui atrás das festinhas organizada por brasileiros que vivem aqui. Esta primeira foi aberta para todos. Pagava-se pelo consumo e participação em algumas brincadeiras. Eu achei tudo muito bem organizado e um ambiente bem família( se é que você me entende). 

Uma pena estar firme na dieta justamente quando eu queria provar sabores do passado. Este foi, sem dúvidas, um grande desafio. De resto, valeu muito a pena por colocar minhas meninas em contato com a cultura brasileira/nordestina. E sim, dançamos quadrilha como manda o figurino…

Pagando calcinha, hahaha! Ainda bem que era nova 😬🙈👇


Um final de semana depois, mais provações. Consegui sobreviver com milho e Fanta zero, rsrs

Muitas brincadeiras legais! Eu não dancei quadrilha, mas ganhei uma canga de praia na rifa!! Pensa num Oscar de melhor atriz hahaha! Fiquei me sentindo muito poderosa!!

As crianças estão com os rostinhos ocultados por smiles tanto porque não tenho autorização para uso da imagem como também para preservá-las.

E assim foi meus festejos juninos.  E viva São João!!!
Imagens-Arquivo pessoal