36


Dia de receber carinho. Dia de perceber o quanto sou querida e o quanto as pessoas se importam comigo. Dia de perceber o tanto de gente bacana que faz parte da minha vida. 


Eu acordei com minhas filhas cantando “parabéns pra você”. Meu marido veio em seguida com um bolo fit, bolo este que comi em desespero logo duas toras de uma vez! Voltei pra comemorar meu dia na cama, com uma soneca de 40 minutos. Um luxo!Depois, um lanche rápido e partiu casa da minha BFF. Não é a toa que ela me é especial. A fia fez um jantar/ festinha de aniversário pra mim com bolo, presente e tudo!


Eu nunca esquecerei a gentileza e o carinho dela por mim.Nunca!

Pra fechar o dia com chave de ouro, o treino na academia, já que amanhã não poderei marcar presença. Depois, jantar das meninas, um tapa da cozinha, rotina da hora de dormir das pequenas. Muitas mensagens de todos os lados.  Um dia tão lindo, não pode acabar assim. E nem vai, permanecerá na minha memória e neste post, antes que o dia acabe.
Imagens- Arquivo pessoal

Anúncios

Nem flores, nem espinhos

Estou a um dia de meu aniversário. Não sei se isso se chama de inferno astral ou se é uma sensibilidade exacerbada causada pelos hormônios brincalhões, eu só sei que tenho andado azeda. E pra completar, o mundo não colabora.Primeiro, um senhor que malha comigo. Eu treinando linda na maquininha de step e de repente sou interrompida.

👱‍♀️: O quê , senhor?

🗣:Dá pra você parar com essa máquina! Tá fazendo um barulho horrível, eu não aguento mais!!!!!!!

Eu fico sem ação. Não teve por favor ou obrigado, apenas um puta cara arrogante que por certo acha que o mundo gira em torno de seu umbigo. Eu sou uma pessoa muito compreensiva quando se trata de barulhos irritantes, ora, eu mesma não tenho misofonia?!!Só que, educação em primeiro lugar! Que culpa tenho eu se a máquina irrita? Nessas situações, apenas três alternativas:

Alternativa 1)vai embora da academia mais cedo

Alternativa 2) usa a p*rra de um fone de ouvido

Alternativa 3) vem pedir o favor na humildade, dizendo por favor e obrigado, muitos sorrisos amistosos, afinal, estou parando o meu treino por você, seu filho da p*ta. Não. O cara deu as costas e foi treinar do outro lado da academia, como se fosse o pica das estrelas. O sangue ferveu. A brasileira louca deu um grito perguntando se tava bom agora que eu havia trocado de aparelho. O fio de repente ficou surdo, fez a egípcia. Eu fui lá nele e perguntei:

 😡:tá bom agora que eu mudei de máquina?

🗣:

😡Eu disse: próxima vez vê se usa um fone de ouvido, porque não é sempre que quero mudar de máquina. 

🗣O filho da p*ta: NÃO!

😡:pois então fale com o dono da academia, não comigo! 

Sai marchando de volta, quase tremendo, Rosana. Desde então, o fio me encara todas as vezes que estou treinando. Minha cara de koo é gigantesca e ele passa por ela com peito inflado, como se fosse o dono da p*rra toda. E eu, só observando, sedenta por um fight. Eu num digo é naaaada…

Eu tenho uma filha de 8 anos!

 * Referente ao seu aniversário dia 9/10/17
Jujubinha, Juliana, Juju, Juliabúlia, Jujuzinha… você chegou em 2009, mas desde 2004 eu já sabia do teu nome. Veio de supetão, eu demorei a te aceitar dentro de mim porque pensava que era cedo demais. A verdade é que eu estava com medo de virar adulta, de ser responsável por uma vida e por todo amor ou dor que pudesse me causar.

Depois que ti vi na ultra, meu coração pulou, tal qual a canção do Roupa Nova. Meses depois, com apenas 35 semanas, deste o ar da graça em um mundo novinho em folha. Foi um início difícil como é para todas que experimentam a maternidade pela primeira vez. Mas o tempo foi passando e você me ensinando como ser uma mãe. 

Sempre engraçada, bem humorada e forte, nunca chorou por besteira. Independente, destemida, participativa e um coração de ouro que sente por aqueles as quais nossos olhos de adulto já se acostumaram. Pedintes, animais, quem quer que precise, você está ali, com uma palavra doce ou um soprinho mágico pra curar o dodói.

Você é carinhosa e adora ser a menininha da mamãe, mas não titubeia quando precisa botar gente pra correr. Aos 8 anos, você gosta de dançar, de fazer estrelinha e todo tipo de exercício corporal que te desafie. És uma ginasta genuína, daquelas que anda pelas ruas dando pulos e cambalhotas causando espanto nos passantes. Tá na fase do Pokemon e coleciona Pokemoncards de toda espécie. Não curte bonecas, a não ser no papel, para desenhar-lhes modelitos diversos. Ama usar meus saltos, ama fazer roupas e vestidos com os lençóis. Me vejo em você, meu amor!Me esforço o quanto me é possível para te proteger de uma parte do mundo que não te merece. Tenho orgulho do doce de menina que você é e sou muito feliz por te ter em minha vida. Parabéns!!!!


Imagem- Arquivo pessoal

Diário de Bordo:Clube da Luzinha na Hungria, Budapeste- Parte 2

Antes tarde do que nunca!Vamos colocar essa bagaça em dia então.


Como disse no post anterior, Budapeste era o inferno na terra de tão quente. Não sei se dei “sorte” ou se o clima normalmente é aquele mesmo no verão, só sei que aconselho a qualquer viajante a evitar este período por lá, ou a pessoa vai fritar!


Como se nãoo bastasse o calor, a cidade é enorme!Pra não correr o risco de derreter no meio do caminho, passei o dia fazendo o Hop on-Hop off   …Melhor decisão da vida!!!


Claro que eu deixei de ver de perto várias atrações, muitos lugares legais que eu gostaria de ter parado pra conhecer e não rolou por conta do calor…uma pena!!


Abaixo, a famosa Praça dos Heróis

Na verdade, com um ventinho no rosto e muito bem acomodada, só abandonei o ônibus na hora do almoço porque era o jeito.


Mais eu conto no próximo post!

Até!
Imagens- Arquivo pessoal

Uma breve atualização

A vida anda corrida. Veja você que o ano nem acabou e eu já tenho planos para depois. Eu nunca vivi com tanta pressa e mediante tantos acontecimentos de uma vez. Primeiro, veio as férias de outono e aproveitamos a oportunidade para cair no mundo. 

Imagem: Arquivo pessoal
Itália foi o destino escolhido, espero que eu consiga escrever sobre esta viagem ainda em 2017! Tem a mudança e reforma daqui de casa. Isso merece um post a parte e eu espero fazê-lo o mais breve possível porque é assunto que quero registrar como lembrança. Teve o aniversário de 8 anos da minha mais velha e eu se quer coloquei uma notinha carinhosa aqui no blog.


Imagem: Arquivo pessoal 

Tem os estudos a todo vapor, provas em breve, segura esse tchan! Tem a organização da festinha da minha filha e desta vez, espero conseguir postar. Por fim, o chá de bebê de minha concunhada pra organizar. Isso sem esquecer os aniversários, os eventos na cidade e tanta coisa legal que acontece durante este período do ano!!! O blog vai ficando pra segundo plano, mas é por uma boa causa. A dieta continua de vento em popa.

Imagem: Reprodução

 4 meses sem açúcar, massa ou carne. 17kg já foram embora (😱) e agora, só -7kg pra chegar na minha meta. Sabe quando foi a última vez que tive meu peso atual? Em 2010!!! 7 anos de acúmulo e em apenas 4 meses, foi tudo resolvido. Todos já notam a diferença e é uma delícia ver a cara de espanto daqueles que duvidaram de mim. Nunca vou esquecer a foto do bolo de chocolate que me mandaram na maldade, bem meu período de abstinência. Nunca vou esquecer aqueles que tentaram colocar areia no meu sonho. 


Imagem: Reprodução

Da mesma forma que me apareceu pessoas de personalidade duvidosa, eu preciso agradecer a aqueles que vieram pra ajudar. O meu marido é uma dessas pessoas, um super incentivador que fez de tudo para que eu comparecesse aos treinos diariamente. Tem também uma amiga que tá na mesma vibe que eu. A gente troca idéia, informações, divide os desesperos, dificuldades e torcemos muito uma pela outra. Pripri, muito obrigada por fazer parte dessa história você também!! Nunca vou esquecer o teu incentivo e força!

No mais, outonão bombando e o inverno promete chegar em breve


MEDAAA!!!

Bom, acho que fiz um resumo informativo dos últimos acontecimentos. Agora, vou me atualizar dos blogs amigos😉💋

Show do Sting em Oslo

Não é a primeira vez nem será a última que encaro programas sozinha. Não tenho o mínimo problema e confesso que até prefiro estar sem companhia em certos shows, para fazer o que me der vontade. Por exemplo, eu curto assistir a apresentação de perto, no meio do povão, do aperto, com suor, cerveja e muita pisada de pé. Sou daquelas que tenta pegar a mão do artista e se der, ainda sobe no palco pra fazer a Katilce com o Bono Vox. A galera que eu ando não tem esse espírito aventureiro e das vezes que fui com amigas, conversamos mais que qualquer outra coisa lá no fundão. Ai eu aprendi, amigos pacatos são pra barzinho, os porra-louca são bem vindos nos shows. Como eu não tenho amigo porra-louca e marido precisava ficar com as meninas em casa, fui pra Oslo encontrar com o Sting.


Cheguei cedo e fiquei observando o pessoal chegar. Uma galera mais madura e muitos casais era basicamente a composição dos presentes. 


Às 20h, pontualmente, Sting deu o ar da graça. Cantou com o seu filho, passou a bola pra ele por umas 4 ou 5 músicas e depois voltou. 


O “moleque” arrasa muito, tem a mesma pegada do pai. Porém, Sting não é Sting por acaso. 

Ele chegou, cantou inicialmente músicas do novo álbum e intercalou-as com grandes sucessos.


Ele continua maravilhoso, tanto fisicamente/ visualmente falando como a voz incrível. Era fechar os olhos e sentir como se fosse um playback de tão perfeito. Músicas dançantes, músicas que colocam todo mundo pra cima. Eu tentei me conter, é verdade, por aqui não é normal dançar em shows( logo pensam que você está embriagada ou drogada). Mas ai eu lembrei que estava sozinha, que eu não conhecia aquelas pessoas e nem elas a mim. Que mal tem em estar bêbada de alegria? Dancei, dancei muiiito!Afinal, quando encontrarei o Sting de novo??!!

Quanta honra foi estar ali! A música dele me lembra um período muito feliz da minha história❤️ 

Muito BOM!!
Imagens- Arquivo pessoal

A calma outonal

Chegou. Já não conseguimos dormir sem o aquecedor. As folhas começam a cair, o céu a escurecer e a chuva cada vez mais presente. A ventania, o silêncio, a floresta molhada e misteriosa. 

No chão, cogumelos de todos os tamanhos e cores. Uns comestíveis e outros venenosos, todos lindos e vistosos. 

No prato, sopa de cebola. No colo, a literatura do semestre. Eu gosto da calmaria do outono. Do encontro com meu eu que esse período me proporciona. Da calma.
Me faz voar em pensamentos, alguns nem tanto apropriados, mas ainda assim. Coisa que fica cá comigo e que se não fosse a situação quase anônima do blog, eu não partilharia por aqui. Tipo… porque é tão difícil fazer número dois em locais públicos? Ontem, na academia, foi sofrimento. Uma conhecida estava no vestiário e eu precisava me desfazer do almoço, se é que você me entende. Sendo que ali existe apenas 1 banheiro concorridíssimo e me concentrar sabendo que tem alguém lá fora atenta me dá muita aflição. O resultado é um trabalho fracionado, o que atrapalha o treino terrivelmente.

E já que o assunto é em torno das necessidades fisiológicas dos seres humanos, eu preciso dizer, ô coisa triste fazer polichinelo ou pular depois de parir duas filhas. Percebi a duras penas que preciso usar fraldas a cada treino!Urgente!!!

Escatologicamente falando, eu ainda sou daquelas que não faz as necessidades na frente do marido. Ele não liga a mínima e senta no trono sem cerimônias. Eu é que fecho os olhos e peço pra ele encostar a porta, porque ninguém merece né. Pois bem, ele sempre sai para trabalhar muito cedo, de modo quando acordo, posso liberar um torpedo sonoro sem medo de ser feliz. Nele vai toda a repressão, o controle e as amarras sociais que diz que mulher não pode peidar, arrotar nem cagá, avalie a violência do estrondo. O sorriso de alívio vai até a hora que percebo que ele ainda está tomando o seu café da manhã na cozinha e coooomm certeza ouviu aquele hino de liberdade matinal. As opções não são muitas. Culpar a filha número 1? A filha número 2? O cachorro? Colocar uma cara de emburrada porque a culpa foi dele por ainda estar ali (x)!!!!
Ok, chega de revelações outonais por hoje.
Imagens- Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Clube da Luluzinha na Hungria, Budapeste-Parte 1

Primeiro de tudo, qual é a chance de fazer uma viagem para Budapeste e depois saber que por lá também estava passeando uma blogueira querida? Eu fiquei em shock quando ela contou por onde andou ( só falta os relatos do lugar, post que já espero ansiosamente).

Pois bem, todo ano eu me dou ao luxo de fazer uma pequena viagem com as amigas. Nada muito doloroso para a família, já que saio na quinta e volto no domingo. Apenas o suficiente para conhecer um novo lugar, passear, conversar com as amigas sem ser interrompida pelas crianças, enfim, relaxar.

Assim que chegamos em Budapeste, seguimos para o nosso hotel. Ele se chama Aria e era muito confortável e belo.

Detalhe do quarto

De fora você não dá muito por ele, porém, por dentro é perfeição. Além de todo o UAU, ele tem um terraço maravilhoso que sempre lota de visitantes.

Super dando close

A fabulosa vista do terraço: a Basílica de Santo Estevão⤵️


O atendimento foi nota 1000!Os funcionários sempre nos perguntando se está tudo bem, se precisamos de ajuda ou oferecendo um vinho, dicas para as melhores atrações, um cuidado genuíno.Não posso esquecer de mencionar a piscina, ofurô, sauna e a sala de ginástica( esta eu não fui pois já caminhava bastante durante o dia).


O que não seguiu o alto padrão foi o café da manhã. Eu não sei se é porque sou acostumada com acomodações simples, porém, com aquele café da manhã farto que enche até a hora da janta, mas eu acho que ali faltou variedade. Tudo muito fino, pouquinho e contido.

Área do café da manhã. Neste mesmo espaço é servido vinho e queijos com música ao vivo no fim da tarde.



Em seguida, fomos fazer um free walking tour e este não me encheu tanto os olhos…


Foram longas caminhadas com poucas informações interessantes.E é claro que o calor atrapalhou. Eu, brasileira, nordestina, fiquei passando mal com aqueles 38º. Dava fraqueza, tristeza e a vontade de explorar era nula dentro daquela sauna, rsrs!

O calor estava tão insuportável que vi muita gente se banhar nas fontes. Quem não tinha essa coragem, se aliviava debaixo dos vaporizadores espalhados pela cidade, como este abaixo…< strong><<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<
No outro dia, optamos pelo passeio no Red bus (Hop on-Hop off). Ao menos não precisaríamos caminhar, né? Teria também o suposto ventinho no ônibus, hummmm, que maravilha!

Nos próximos capítulos eu conto mais, combinado?

Imagens-Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Férias na Legoland-Dinamarca, Billund

Este ano optamos por tirar férias de verdade somente em dezembro, de modo que o nosso verão se resumiu a apenas uma semana de folga fora (o resto passei com as meninas em casa enquanto o love trabalhava). Escolhemos um lugar voltado especialmente para diversão de nossas meninas e aqui na Escandinávia não há melhor lugar que Billund, na Dinamarca.

De Oslo, o vôo leva menos de 1h e para nossa sorte, o aeroporto é ao lado da Legoland. Um taxi nos levou a nossa hospedagem em um resort chamado Lalandia (que fica em frente a Legoland). Ficamos em uma casa espaçosa, confortável e totalmente equipada, um alívio para quem tem crianças pequenas cheias de energia. A vizinhança tranquila era uma liberdade em todos os sentidos. Poder abrir as portas e assistir de dentro as meninas brincarem no jardim, sem a preocupação de carros é mesmo um descanso.

Esse tipo de satisfação nos fez decidir investir em uma mudança em nossas vidas, mas isso é papo para um próximo post.

A nossa “choupana” ficava a uns 10 minutos de caminhada dos parques, tanto Lalandia como Legoland. Era muito bom fazer o trajeto a pé porque as meninas gastavam a energia já ali, além da colheita de morangos em todo o percurso.

Caso estivéssemos cansados, era só pegar o trenzinho que passa a cada meia hora.

Legoland

Minhas meninas não falavam em outra coisa a não ser a visita a este parque lindo. Chegamos às 11h sem muitos planos e apesar de muita gente, as filas estavam tranquilas nos brinquedos mais simples. Isso quer dizer que para as crianças maiores é mais vantajoso comprar o express pass e pular a fila de 40 minutos da montanha russa. As minhas ficavam satisfeitas com os trenzinhos, barquinhos e outras atrações mais leves.

É um parque lindo e muito bem decorado. Todas as figuras construídas de Lego piram o cabeção de quem é fã do brinquedo. E falando nisso, sabia que o inventor do Lego é Dinamarquês? Sabia que a Legoland faz tanto sucesso que foi construído um aeroporto internacional em Billund só pra dar conta dos turistas?Incrível!!!

Na hora do rango, comemos em um self service familiar logo na entrada. Comida variada e boa, fica a dica.

Lalandia

Depois de dois dias intensos na Legoland, era a hora de curtir um pouco a Lalandia. Dentro do resort tem de tudo, restaurantes, supermercados, parquinho, parque aquático, boliche, fazendinha e tantas outras atrações que se quer tivemos tempo de visitar.

Restaurantes

O que fez mais sucesso foi o parque aquático. Ele é fechado, então não tem tempo ruim. Tem tobogã, piscina com ondas, piscina pra criancinhas pequenas, sauna, lanchonetes, tudo!

O parque aquático do lado de fora. É do ladinho do aeroporto! Adoooroooo!!!

Agora, sejamos sinceros

É um programa incrível pra criança, não posso negar. Única coisa que quero alertar aqui é a necessidade de muita atenção, paciência e comprimidos para dores de cabeça, porque no final do dia minha testa estava em chamas. É muita, muita gente e pra completar, as crianças piram de uma forma quase que incontrolável. Eu acho que vou esperar que elas cresçam um bocadinho mais antes de me aventurar de novo por lá. A cabeça agradece, rsrsrs!!!!

Imagens-Arquivo pessoal

O vestido azul

Anos de insatisfação, mais precisamente uns cinco. Me doei a maternidade, ao trabalho, aos estudos. Estresse, ansiedade, coisas de quem tá vivo. Como consequência, na balança tinha quase 100kg e eu não quis acreditar nos meus olhos. Eu já não tinha roupas para usar. Me escondia de fotos e filmagens. Ficar nua na frente de alguém? Nem da minha mãe. Eu não queria saber de balança porque o chocolate e o chips me traziam um bem estar incrível.

O momento em que tudo mudou foi quando eu estava em uma espécie de parque fechado com atividades para crianças. Lá tinha sofás e eu e meu marido estávamos brincando de empurrar um o acento do outro ( cadê a maturidade?). Eu conseguia empurrar o sofá dele, mas quem disse que ele conseguia empurrar o meu ? Eu estava me sentido a fortona, mas ele cortou o meu barato dizendo que isso nada tinha a ver com força e sim com o (meu) peso. E foi tomando coragem pra conferir quanto de fato eu tinha acumulado que eu cai na real. Constatei triste que nem quando estive grávida de 9 meses pesei tanto.

Decidi buscar ajuda. Procurei artigos e livros sobre reeducação alimentar, sobre os treinos e combinações de alimentos que saciam. Cortei o açúcar, a carne( pq eu só comia o pior tipo: salsicha e carne moída), também deixei de consumir arroz e pão branco. Mudei de academia e passei a frequentar aulas em grupo. Me apaixonei por esta vida fit. Faltando 2 semanas para três meses de RA, emagreci 10 fucking quilos.💪🏽🤙👌🏼🎊🎉🎈

Foi fácil? Foi não e ainda não é!Cada dia um desafio diferente. No início, a barriga roncava de fome acostumada com as porções gigantescas. Tive um deslize ou dois, até eu aprender que devo manter delícias lights na geladeira para momentos de crise.Teve muita gente chata da dieta tentando me fazer perder o foco e esse eu acho que de longe foi o desafio mais penoso. Eu tive que praticamente doutrinar certas pessoas, explicando todos os motivos pelo qual eu precisava emagrecer e que já é uma mega ajuda se a pessoa não insiste. Vi gente me provocando com sorvetão de chocolate e outras sobremesas, só pra me fazer cair em tentação. Pra você ver como a turma do contra é persistente, hoje recebi uma foto de um belo bolo de chocolate. A pessoa escreveu na foto que estava pensando em mim. Sacanagem ou brincadeiras a parte, a essas pessoas eu tenho uma homenagem secreta: o meu vestido azul maravilhoso que eu nunca tinha usado por não me entrar, hoje ele fechou o zíper nas costas bem facilmente!

A alegria que senti este momento histórico em minha vida é algo que me motiva até mais.

Eu posso imaginar que eu esteja sendo uma chata fitness( hahaha, sobre esse tipo eu posto numa próxima oportunidade) optando por alimentos magros e evitando bebidas alcoólicas e outras gordices, mas ao menos eu não insisto para que os outros façam isso. Também gostaria que o resto do universo tivesse o mesmo respeito. Como não é possível, vai da minha força de vontade extra que é entrar na calça jeans da época de solteira. Me aguarde, bebê!!

Imagem-Reprodução