A Chata da Dieta

Eu já havia lido em algum lugar o quanto as pessoas ao nosso redor podem ajudar ou simplesmente minar uma dieta. Se comida une pessoas, imagine bebida. Uns bons drinks tornam meros estranhos em melhores amigos, fato. Por isso, quando um dos nossos recebe um chamado e procura levar uma vida mais saudável é logo criticado e crucificado, chamado de tolo ou doente, manipulado de todas as formas para comer ao menos um pedacinho daquele bolo de chocolate açucarado e coberto por leite condensado em forma de brigadeiro.


Ei, você que faz esse tipo de coisa, você é a chata da dieta. Pare, reflita e tenha compaixão. Reconheça que você nada sabe sobre a vida daquela pessoa que decidiu tão corajosamente mudar de vida e que luta todos os dias contra tentações. Você não sabe que aquela pessoa quase chegou a 100kg ou se já pesa mais que isso, você muito menos imagina que aquele ser humano tinha cefaléias diárias por conta da comida gorda e do sedentarismo. Aquela pessoa, sabe Deus se estava com os dias contados para um infarto ou qualquer doença malígna causada pelo sobrepeso. VOCÊ NÃO SABE QUE AQUELE PEDACINHO DE BOLO QUE VOCÊ INSISTE EM OFERECER PODE LEVAR TUDO A PERDER. Pode fazê-la desistir.Não é que o pedacinho engorde horrores, é o que vem depois:o vício no açúcar e na farinha.

Não é fácil estar nessa posição. A galera tem a maior simpatia por quem decide largar as drogas, apoia quem vai pra Rehab ou encontros do AA, mas faz pouco de quem tá de dieta sem um motivo relevante. Eu me recuso a esperar a diabetes chegar pra mudar de vida. Sinceramente eu decidi não me abrir tanto sobre isso justamente porque se a pessoa sabe que você está de dieta, faz de um tudo para você voltar atrás. Muito diferente de dizer que não quer aquele pedacinho de bolo porque acabou de sair de um rodízio de pizza e devorou 19 fatias, incluindo uma pizza de chocolate. Nesses casos respeitam sua decisão.

Pra você que é o chato da dieta, simplesmente PARE. Não é não!Pra você que tá na luta, força! Não se abra muito sobre seu novo estilo de vida, pelo menos no começo, quando ainda estamos fragilizados. Já tenho 1 mês de reeducação alimentar/treinos, 5kg a menos e ó,  é cada tentação inacreditável que chega a ser maldade com um ser humano que só quer evoluir. O bom é que depois de cada momento resistido com bravura, me vem mais força pra continuar. São batalhas que vamos vencendo, mas que seria tão mais fácil se o ser humano respeitasse a decisão do outro! Não pode ser tão difícil, né? Afinal, não estou insistindo por uma porção de salada de frutas, embora fosse muito simpático ter esta opção (hohoho), só estou pedindo respeito.

Diário de Bordo: o que é que a Irlanda tem? Dublin- Parte 4

Dando continuidade às postagens antes que eu esqueça de tudo, aqui vai alguns cliques de nosso último dia na capital e informações sobre o nosso hotel, não exatamente nesta ordem.

Nós ficamos hospedados no Hotel Clayton, uma hospedaria bacana localizada próximo às margens do Rio Liffey. Aviso logo que, para o preço que cobram e a classificação que carregam, deixam a desejar para os padrões brasileiros do que é um hotel quatro estrelas. O quarto em que ficamos não tinha frigobar pra gelaras breja e o café da manhã tinha de tudo, mas era bem basicão. Eu já paguei muito mais barato em um hotel três estrelas na Espanha que comparando com este, mais parecia cinco estrelas! 


Agora, verdade seja dita: era perto de tudo. Fizemos a maioria dos passeios caminhando ou pegando carona nos ônibus vermelhos.
Alguns cliques das redondezas…

A última atração visitada antes de ir embora foi o Museu de Cera. 



 Não importa que eu já tenha feito esse tipo de programa em outros lugares. Eu adoro analisar a perfeição e cuidados com que os bonecos são feitos e acho que cada país tem uma exposição diferente. 


Em Dublin, além das personalidades locais e internacionais, havia também um hotel do terror( que eu não aconselho a entrada de crianças, pelo amor!!!) e um tipo de floresta encantada(?).


Por fim, fomos almoçar em um bistrô muito aconhegante chamado Bach 16. No meu prato, uma salada com queijo e um molhinho doce divino. A pizza do boy, extremamente fina e crocante, também delicioso. Muito bom!

E assim terminou o nosso dia, cansados, mas bem felizes e preparado pra outra avenrura!

Tin tin com café!

Festa Junina Brasileira na Noruega

Antes de tudo, vamos combinar uma coisa?


Ok?

Ok! Agora sim, posso continuar:

Eis um dos momentos mais difíceis de estar longe do Brasil. Eu aguento ficar de fora do carnaval, não tenho problemas com a páscoa e outras datas comemorarivas, mas o São João é complicado. 

Eu lembro logo das fogueiras, das ruas decoradas com bandeirinhas e folhas de bananeiras, das quadrilhas improvisadas cada noite de luar, cada paquerinha que eu arranjava, o quanto tudo era inocente e divertido!Naquela época, aceitar como par era quase como que aquiescer a um pedido de namoro, era uma verdadeira honra!

Estando tão longe disso tudo, a gente se vira como pode. Teve uma época em que eu fazia festa junina com uma conhecida minha, amava preparar cada detalhe. Porém, com as filhotas na área, as prioridades são outras e é por isso que fui atrás das festinhas organizada por brasileiros que vivem aqui. Esta primeira foi aberta para todos. Pagava-se pelo consumo e participação em algumas brincadeiras. Eu achei tudo muito bem organizado e um ambiente bem família( se é que você me entende). 

Uma pena estar firme na dieta justamente quando eu queria provar sabores do passado. Este foi, sem dúvidas, um grande desafio. De resto, valeu muito a pena por colocar minhas meninas em contato com a cultura brasileira/nordestina. E sim, dançamos quadrilha como manda o figurino…

Pagando calcinha, hahaha! Ainda bem que era nova 😬🙈👇


Um final de semana depois, mais provações. Consegui sobreviver com milho e Fanta zero, rsrs

Muitas brincadeiras legais! Eu não dancei quadrilha, mas ganhei uma canga de praia na rifa!! Pensa num Oscar de melhor atriz hahaha! Fiquei me sentindo muito poderosa!!

As crianças estão com os rostinhos ocultados por smiles tanto porque não tenho autorização para uso da imagem como também para preservá-las.

E assim foi meus festejos juninos.  E viva São João!!!
Imagens-Arquivo pessoal

À uma adolescente de 70 anos

Ontem minha mãe fez 70 anos e posso afirmar que nunca a vi tão feliz e radiante como nos últimos meses. Acho que ela está tendo merecidamente a melhor época de sua vida. Isso porque teve uma infância difícil com um pai extremamente violento. Sua adolescência/início da fase adulta também havia muito controle, apesar de que ela bem curtiu bastante para a época.Ai veio a faculdade, preocupação com a carreira, um casamento/aprisionamento e os filhos. Veio a perda de um filho de 4 anos, um trauma para a vida toda. Veio o câncer de mama, veio a descoberta de uma traição, veio sofrimento e perseguição por anos. E veio ao fim dos 60 anos a carta de alforria que ela não queria dar: a separação. De início, sofreu. Parecia que a vida não tinha sentido, a casa estava vazia demais sem os filhos crescidos e o marido. Ela viajou. Conheceu o mundo e conheceu a si mesma, reconheceu que nessa vida não detemos o controle. Ela se permitiu viver. Se pôs bonita nos tratamentos estéticos, arranjou uma thurma pra chamar de sua e não passa em casa nos fins de semanas. Na verdade, a casa virou seu santuário, local onde cura sua ressaca e se prepara para a próxima aventura. Falando com ela ontem, eu pude perceber aquela felicidade sincera e debochada quando ela me disse que havíamos trocado de papéis: eu agora era ela antigamente ( preocupação com a carreira, filhos, responsabilidades, marido e o pacote todo) e ela era aquela Nara adolescente, sem preocupações e com um bilhão de amigos curtindo muito uma vida tão feliz. 

Sim, Mãe, você pode dizer que ao longo dos teus 70 anos finalmente você pode viver tranquilamente e curtir muito, sabendo que tudo que você fez para nos educar e proteger não foi em vão. Eu agradeço por todo o amor incondicional e por estar sempre ao meu lado, me orientando e guiando quando a falta de experiência de vida me colocava em becos sem saída. Você é incrível!!!


Parabéns!!!!
Imagem- Reprodução

Midsommar molhado na Suécia- 2017

Mais um ano de Midsommar, mais um ano de festejos no dia mais importante da Suécia.

Eu já expliquei um pouco do evento na postagem do ano passado e para não ser repetitiva, deixo aqui o link pra quem quiser se inteirar do festejo e seu significado.

Este ano choveu canivetes. Um desfile de guarda-chuvas que dizia muito bem o quanto os suecos são ligados as tradições. Se faz sol, ótimo! Se não faz, ótimo também! Capa de chuva e guarda-chuva existe pra isso mesmo.

E a típica coroa de flores? Vai em cima do capuz, sem problemas!

No entanto, no dia seguinte, uma ironia! Olha o sol!!!


Aproveitamos para passear na praia em Uddevalla…

Acredite se quiser, a placa abaixo indica um trecho da praia especialmente para cachorros tomarem banho!

As humildes casinhas de veraneio



E assim foi o nosso midsommar! Simples e molhado, mas ainda assim lindo!
Imagens- Arquivo pessoal

Verão em Oslo 2017

Filha mais nova de férias, impossível ficar em casa com tanta energia. Fomos então passar o dia em Oslo num programa bem simples e gostoso. Vem comigo!

Primeiro, a maior felicidade por andar de ônibus. De acordo com a filhota, essa foi a segunda atividade mais legal do dia. Da janela, reparamos que no terminal do ônibus havia redes! Eu dormiria ali fácil!

1- Descemos em Bjørvika, um dos locais mais lindos de Oslo. Tem um conjunto de apartamentos que são o cartão postal da cidade ( e também o meu sonho de consumo). Fica pertinho da Opera House e quase em frente a um Joe & the juice, uma lanchonete que adoro. Paramos para devorar um Avo Shake maravilhoso e um sanduiche spice tuna incrível. Era o que precisávamos para encarar as primeiras atividades do dia.

2- Barriga cheia, pé no mundo! Com um clima super convidativo lá fora, fomos caminhar no parque da Idade Média ou Middelalderparken.


Repare que beleza de apartamentos! Vistos do teto da Opera house é até mais bonito. O que kh são as maquinarias e materiais de construção por todos os lados. Oslo virou um canteiro de obras…


E o medo disso cair na cabeça de um?

Aviões por todos os lados, a minha paixão!

As ruínas da Idade Média

3-Em seguida, caminhamos pelos prédios estilosos. A galera não economiza na decoração mesmo!


4-Próxima parada: a fonte por trás do teatro nacional. Turista que se preze, tira uma foto com a fonte!

5- A caminho do cais Aker Brygge

6- Depois de muito explorar e brincar, o almoço no restaurante favorito o, o T.G.I Fridays..,

Acho tão bacana o cuidado que oscrestaurantes tem com o público infantil! No fridays, logo que chegamos recebemos o meny para crianças com refeições em porções mebires e portanto, mais barato. Além disso, no próprio meny há vários joguinhos e figuras para pintar com a canetinha que eles oferecem. O almoço foi salvo! No prato:Salmão ao molho Jack Daniel e saladinha…


7-Mais um pouco da área nobre, Tjuvholmen….

Transporte dos ricos e poderosos👇

8- Enfim, prainha!!!

Preparar…

Apontar…

Vai!!!!!!


Por hoje é só!

Imagens- Arquivo pessoal

Diário de Bordo: o que é que a Irlanda tem? Dublin- Parte 3

Tem muito o que conhecer! Um mundo de atividades culturais que nós não demos conta e queremos voltar para conferir o resto com mais calma. 

Muito que bem, depois do passeio na Guinnes Storehouse, fomos em um museu viking chamado Dublinia.A história dos vikings é contada de uma forma bem interessante, com réplicas das habitações, vestimentas e bonecos de cera dos personagens mais famosos.





Uma atração interessante pra quem curte história, muito bom!

 Em seguida, decidimos conhecer a Catedral de St. Patrick, o padroeiro da Irlanda.Saímos correndo embaixo de chuva para poder assistir à missa das 16h, porém, aquele dia era um feriado e portanto, não teria a cerimônia. Mesmo assim, pagamos para entrar e ficamos por algum tempo explorando o local. 


Confesso que não achei láaa essas coisas. Tirando a cúpula, tudo era muito escuro e misterioso que nem um galpão. Me parece muito mais bela por fora que por dentro, se você me pergunta.

Por fim, uma visitinha a um mercadinho brasileiro, o Real Brasil.


Na imagem falta o biscoito Bono por motivos de que a carne é fraca: devorei o Bono em Dublin mesmo!
Dublin já é tão brasileira que umas comprinhas como estas não poderia faltar. A loja tinha uma boa variedade de delícias e a vendedora/proprietária foi muito simpática. 

Os contatos do marcadinho:

Posso dizer que já valeu a viagem!

Imagens- Arquivo pessoal

Aprovada

Depois de muito choro, noites insones e de visitar o site da universidade a cada 2 minutos desde às 7h da manhã, não consigo segurar a emoção por essa pontuação suada:


EU PASSEEEEEEIIIIIIIII!!!!!


Dedico esse Oscar a meu boy, que suportou meu mal humor e me confortou nos momentos de insegurança! Que venha o próximo semestre, que eu vou chorar tudo de novo, hahaha!!!!

Na Biblioteca: Clube da Luta, de Chuck Palahniuk


Pensa-num-livro-maravilhoso!! E, ao contrário do que eu imaginei de início, a história no fundo tem a ver com tudo, menos com luta. Tem a ver com fulga. Tem a ver com que nem tudo que parece, é. Você confia nos seus sentidos?Medo!
O livro conta a história de homem entediado com sua rotina e vida sem grandes desafios. Criou com seu amigo um clube da luta para sair de si.


 Se pela manhã ele era um simples funcionário de escritório, à noite ele extravasava no clube. Mais não conto porque estragaria a BIG surpresa. Você só precisa ter em mente uma coisa: nada do que parece, é. 
Alguns trechos que achei interessante:

“Não sou o único escravo do instinto doméstico. Conheço pessoas que já se sentaram na privada com uma revista de sacanagem e hoje se sentam com um catálogo da IKEA.”


Depois de ler este livro, você nunca mais comerá em um restaurante sem sentir certo desconforto:


”Voltando ao hotel, estamos no elevador parado entre dois andares, conto a Tyler que escarrei em cima da galantina de truta da convenção dos dermatologistas; três pessoas me disseram que estava muito salgada e uma achou deliciosa.”


“Na semana passada foi mais grave. Na semana passada foi o couro do estofamento tratado com uma substância reconhecidamente teratogênica, o Nirret sintético ou qualquer coisa igualmente ilegal que ainda é usada em curtumes do terceiro mundo. É tão forte que é capaz de provocar defeitos congênitos no feto da mulher grávida que entrar em contato com ele. Na semana passada, ninguém ligou para o Departamento de Entregas. Ninguém iniciou um recall.
O couro novo multiplicado pelo custo de mão-de-obra multiplicado pelos custos administrativos é maior que o nosso lucro no primeiro trimestre. Mesmo que alguém descubra o nosso erro, podemos indenizar muitas famílias enlutadas e não chegar nem perto do que custaria para reformar os 650 estofamentos de couro.”


Quando Tyler inventou o Projeto de Ações Violentas, ele disse que o objetivo do projeto nada tinha que ver com outras pessoas. Tyler não se importava se alguém saísse ferido ou não. O objetivo era que cada homem do projeto aprendesse que tinha o poder de controlar a história. Nós, cada um de nós, podíamos assumir o controle do mundo.
Foi no clube da luta que Tyler inventou o Projeto de Ações Violentas. “

Viva o clube da luta!Mais um livro favoritaço!!!!Assisti o filme e também recomendo fortemente!

E a trilha sonora LINDA:

Imagens- Reprodução