Na Biblioteca: Como eu era antes de você, de Jojo Moyes

Dias lindos, para fazer o que quiser.Sim, eu curto as férias devagar, como se degustasse um doce muito fino e exclusivo. Ora faxino aqui, ora assisto um filme ali, ora coloco a leitura em dia, ora, ora, ora. Não me falta ora, rsrs! Ontem mesmo, acabei de ler “Como eu era antes de você”…

O livro lindo e o brilhinho da semana. Uma lida entre uma esmaltada e outra…


Nem vou fazer resenha nem nada porque, né, quem a esta altura já não leu o livro/viu o filme? Ok, eu levei 1 ano para concluir tudo, mas é porque não é muito o meu estilo. Eu acabava por priorizar outras obras e só agora tomei vergonha na cara pra finalizar as leituras que deixei pela metade . Não me arrependi dele, muito pelo contrário, confesso que até chorei no final. E pra um livro me levar às lágrimas, olha, tem que me tirar da terra. Acho que é porque a história do Will é muito comovente. A gente passa por cadeirantes na rua e não imagina as dificuldades que aquelas pessoas enfrentam. Tantos os que nasceram com alguma deficência física como os que adquiriram depois de terem uma vida bem ativa,  é muito tocante a situação. Eu pensei logo naquele humorista brasileiro que ficou tetraplégico em um grau tão alto que só os olhos davam sinais, o Shaolin. E o que dizer de Schumacher? Esquiando em um dia e no outro nem se mexia mais. A vida muda bruscamente e eu só posso dizer que no caso do personagem, ele foi muito corajoso em sua decisão. 

E ai, como se não bastasse chorar com a leitura, me submeti a mais  sofrimento: fui assistir o filme baseado na obra. Engraçado que eu não tinha imaginado a Louisa Clark daquele jeito, meio abobalhadona. E que atriz cheia de expressões, heim? 


Minha nossa, ela fala com todos os poros, olhos e linhas de expressão, incrível!Além disso, reparei nas suas “roupas ridículas”, que de ridículas não tinham nada. 


Quero imitar tudo!

Muito graciosas, até a coleção dela da Irregular Choice é apaixonante. Pra quem é de família humilde e não nada em grana, o guarda-roupa tá muito bom, heim? Mas não condiz com sua realidade.

No geral, achei um bom livro pra se ler nas férias, daqueles que nos fazem relaxar de verdade. Se você gosta de chorar, super vale a leitura. 

Pontuação ❄️❄️❄️

Imagens- Reprodução

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s