Na Suécia, pessoa assassina o próprio bebê e recebem mais 160 mil: o crime perfeito!

Olha só a bela brecha que a lei sueca deu. Um bebê foi assassinado por um de seus pais em sua casa. Os dois presos preventivamente por três meses, mas o processo não foi pra frente por motivos de que um culpa o outro e os investigadores não conseguiram identificar quem fala a verdade.
Por este motivo, eles foram soltos e a mãe acabou de receber uma indenização de 164.000 coroas suecas ( aproximadamente 58.000 reais) pelo tempo em que ficou presa. O advogado do pai também vai pedir a mesma quantia e provavelmente receberá tal valor. E todo mundo tá com a cara mexendo por saber que um deles é o assassino e mesmo assim não só ganhou sua liberdade como recebeu/receberá uma bolada dos cofres suecos. Deu um nó na sua cabeça?


Tá tudo aqui. Eu estou ainda sem crer no absurdo. Enfim.

Imagem- Reprodução

Anúncios

Diário de Bordo:Minha experiência no Hotel de Gelo, Kiruna- Parte 4

Sabe aquelas fotos do degelo que postei dias atrás? Eu super achando que a primavera finalmente chegara, até fotografei a primeira florzinha do ano:


Tão ingênua, não? Já havia inclusive mudado os pneus do carro para os apropriados para o verão. E ai hoje a bela surpresa…


Ai Noruega! Porque eu ainda me iludo contigo? “E se reclamar, neva verão também!” Rsrs!Ok, ok. É bom que eu entro no clima para explicar a experiência mais gelada e penosa da minha vida!

Quando nos casamos, em meados de 2006, recebemos de presente dos meus sogros uma estada no famoso hotel de gelo, em Kiruna. Se passou 11 anos e nós nunca que utilizamos a estada(porque será, né?), até o dia que fomos pra lá comemorar os 60 anos da minha sogra e usar finalmente o presente(de grego, rs). 



*Está incluso no pacote o empréstimo do macacão, botas e luvas.

Antes do check-in, os quartos são expostos aos turistas que pagam a entrada para conhecer o hotel. É uma construção encantadora, uma verdadeira obra de arte congelada.



 Porém, dormir ali seriam outros 500 e eu desde cedo já sentia que não daria conta. Sente o drama:



Tem até igreja de gelo!



Fizemos o check-in e recebemos instruções de como deveríamos proceder, localizamos os banheiros e o nosso armário onde deixaríamos nossas malas. 

Após um banho demorado na recepção do hotel, pegamos nossos sacos de dormir ainda quentinhos e fomos encarar uma dormida em -5. Este era o nosso quarto…



Comemoração de nosso casamento em 2006! Tin tin!🎉🎊



No início até que eu consegui levar. Era presente e caro, como eu poderia deixar de tentar?Me encolhi dentro do saco e dormitei aspirando o ar gelado e incômodo. Quando deu 3h da madrugada eu não aguentei. Os pés eram dois picolés e não tinha meia que desse jeito. A solução que encontrei foi me aconchegar na recepção mesmo, sentadinha até amanhecer o dia. Para minha surpresa, acabei por encontrar várias outras almas sofridas que, assim como eu, não passaram no teste de resistência. Shame on us!!

Fotos dos outros quartos…


O resto de meus familiares vikings dormiram plenos até às 6h, quando foram despertados pelo recepcionista com um copo de saft, um suco morno. Era hora de levantar e assim deixar os quartos disponíveis para a exposição do dia.

Se você me pergunta hoje, eu aqui em casa no calor da minha sala, se valeu a pena, te respondo que foi uma vivência única e sou muito grata por ter passado por tal experiêcia. 


Porém, esse tipo de aventura não é algo que quero viver outra vez. Meu limite já é morar em um lugar que é frio por meses e passar por tantos obstáculos que esse clima extremo traz. Dormir em -5 pra mim é tortura. Preferia muito mais ter alugado um quartinho quentinho, viu?


Imagens- Arquivo pessoal

Séries norueguesas

Desde que me mudei para cá que perdi o hábito de assistir tv. Eu ficava bastante frustrada por não compreender completamente o que era dito e acabava por me render aos filmes americano. Com o sucesso do youtube e do netflix então, havia esquecido de vez a tv norueguesa, até que uma amiga minha me passou um link de um programa chamado Svart Humor. Se trata de um programa apresentado por um estrangeiro mostrando de forma bem humorada as diferenças entre a sociedade norueguesa e os imigrantes. Não esqueço nunca as dicas dadas para um imigrante conseguir entrar em uma balada norueguesa e o tiozinho finlandês descascando os nativos daqui.

Tecla sap: o entrevistador pergunta ao tiozinho onde estão os valores noruegueses e ele responde que está na raba, hahaha! Sorry, não deu pra encontrar esse trecho com legenda em inglês.
Depois de devorar toda a temporada e de umas boas gargalhadas, decidi dar uma chance a Skam e olha, desde então não tenho mais vida.
Skam em uma famosa série norueguesa que retrata a vida dos adolescentes no ensino médio em uma escola em Oslo. Os namoros, bulling, gravidez, problemas alimentares e tantos outros desafios enfrentados pelos jovens.
A série legendada em português, muitooo boa!⤵️

O que mais achei interessante foi finalmente entender muito da cultura norueguesa, as gírias, a maneira de pensar e agir, como as meninas muçulmanas interagem em contato com duas culturas tão diferente, as festas, tudo me fez refletir e amar ainda mais a Noruega. 

Além disso, a série meio que preparou para o “por vir”. Sou mãe de uma fofinha que em breve fará 8 anos, é preciso começar um processo de confiança já de agora, pra que lá na frente ela não seja tão influenciável.
Depois dessa série maravilhosa, comecei uma chamada Unge Lovende. 

No estilo de Skam, sendo que mais puxada para os jovens após a escola. Outro choque devrealudade porque aqui eles precisam se virar bem cedo, já que não é comum viver na casa dos pais. Falta trabalho dos sonhos, falta maturidade e assim eles mostram a nada mole vida de um jovem adulto.
Comecei também por esses dias a assistir Valkyrien.

Me parece muito interessante e eu me viciei ainda no primeiro episódio. Estou curtindo muito, só dei uma pausa porque comecei a assistir a série sobre o aeroporto onde eu trabalhava, a OSL 24/7.

Me deu muita saudades da época que trabalhava lá, nossa! Aqui para quem quiser treinar o norsk
https://tv.nrk.no/serie/valkyrien/KMTE40000512/sesong-1/episode-3

Fica a dica pra que curte a Escandinávia e deseja aprender mais sobre a cultura norueguesa!

Diário de Bordo:Lapônia Sueca, o norte do Norte- Kiruna,parte 3: Passeio de Trenó

Eita que isso aqui já virou um blog turístico, haha! Totalmente sem intenção, mas eu preciso registrar minhas memórias. Então aqui vai mais um pouco de Kiruna.

Fatos sobre Kiruna:



❄️Fica na Lapônia

❄️É a terra do povo Sami, os indígenas da Escandinávia

❄️Abriga a maior montanha da Suécia, o Kebnekaise

❄️Tem o famoso sol da meia-noite

❄️Ocorre Aurora boreal com bastante frequência 

❄️Tem ursos

❄️Vive do turísmo e da extração do minério de ferro

❄️Ventanias, muitas ventanias

Além disso, tem passeios com trenós puxados por cachorros. 


Não era a minha primeira vez, então eu já sabia das emoções que me aguardavam.

É muita adrenalina! A pessoa acha que não vai dar certo, que os cachorros não se manterão em ordem, que vai cair e quando menos se espera, é só o vento gelado no rosto e o trenó quase voando! Muito bacana!
Se um dia você for fazer um passeio como este, aqui vai três dicas:

⛄️Prefira um trenor com condutor profissional.Eu não teria coragem de conduzir essa cachorrada, embora meu boy já tenha feito isso antes e dito que não foi difícil.

⛄️Se você for em um trenó com muitas pessoas, prefira ficar no último acento porque tem um encosto. Fui inventar de voltar no meio e, além de não conseguir ver direito, fiquei bastante incomodada com a posição e falta de apoio. Um horror!

⛄️Vá muito bem agasalhado, mesmo que você ache que não precisa. O vento é cortante, um frio que dói!

E ai é só curtir..,

 

Os cachorros são super amáveis e conquistou nossos corações…(pausa para os olhos desse dogão)


❤️️amor demais!❤️️

E como se não bastasse o super passeio, uma pausa para um lanche. Bolos, cafés e chá foram servidos.



Final do passeio


Uma atividade escandinava que não se pode perder! Fica a dica!
Imagens-Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Lapônia Sueca, o norte do Norte- Kiruna, Parte 2

Eu fui falar no último post que a cidade nos recebeu ensolarada, olha que delícia de manhã tivemos no dia seguinte!

Uma nevasca inacreditável! Para nossa sorte, o sol apareceu depois e assim pudemos conhecer melhor a cidade. As fotos abaixo são da Igreja de Kiruna

Fotos após a nevasca⤵️

Depois, fomos conhecer um museu do povo Sami, em Jukkasjävi.A exposição é a céu aberto para mostrar de forma mais realistica possível como eles viviam de boas em um ambiente tão desafiador.

Que dó 💔⤵️

A bandeira Sami⤵️

Traje típico⤵️

Brincadeira com as renas




Parada para o rango no café do museu

A comida era feita no meio do restaurante. Métodos arcaicos que fazem maravilhas…

Eu pedi essa sopa de salmão e ela estava divina!

O resto eu contarei depois porque no momento estou a cair de sono! Falta de energia me define!Aff!

Imahens-Arquivo pessoal

Diário de Bordo: Lapônia Sueca,o norte do Norte-Kiruna, parte 1

Eu não pensei que fosse fazer um diário de bordo tão cedo depois da maratona na Espanha, mas cá estou eu outra vez em mais um passeio inesquecível. 
É que para comemorar os 60 anos da minha sogra, ela bancou uma viagem para a família toda. O local foi mantido em segredo até a hora do check-in e a nossa ansiedade triplicou de tamanho ao descobrirmos que o destino era um lugar tão exótico. 

Depois de um vôo tranquilo, encontramos Kiruna extremamente ensolarada. Fria, porém confortável devido a ausência de ventos. 

Bom dia, Kiruna!☀️


Primeiras impressões


No primeiro dia não fizemos mais que comer e dar uma volta no centro, para reconhecer o terreno. Aqui também é primavera, mas a quantidade de neve é assustadora. Montanhas e mais montanhas acumuladas impedindo a vida de passar livremente. Se a primavera é assim, imagine o inverno?!! MEDO!


No restaurante, comemorações…

A comida é do The Bishop Arms. Bem gostosinha, mas bem carinha para ser na Suécia em uma cidadezinha onde Judas perdeus as botas, cachecóis e luvas.

Por hoje é só porque osolhos já estão ardendo de sono!

Imagens-Arquivo pessoal

A neve e seus últimos suspiros 

Nem só de esqui vive o escandinavo. Outras brincadeiras típicas também fazem a alegria da família. Os bonecos de neve, guerra com bolas de neve e lanternas de neve são algumas opções, sendo esta última a que nos ocupamos em fazer na manhã de sábado.

O sol estava presente mais uma vez, aquecendo e facilitando  minha vida, pois ficar fora de casa só em condições favoráveis de sobrevivência. E apesar da dificuldade em modelar as bolinhas, até que conseguimos um bom resultado… por algumas horas, pois a chuva que veio depois acabou por destruir nossa “obra de arte”. Aqui eu filmei o processo, pra guardar de lembrança…


E a seguir, alguns registros que aliviam o coração…


Não-é-cocô-ok?

O inverno é uma delícia, mas ver esse degelo, ahhh! É como desatar um sapato apertado! Significa muitos festejos que estão por vir! Não vejo a hora! Verão, vem pra mim!!!

Imagens-Arquivo pessoal

Apenas um dia qualquer de primavera

É mais claro e ensolarado, mas não quer dizer que tenha menos neve ou frio. A noite chega por volta das 19h e o dia, já às 6h. Já não preciso tanto do carro e até me arrisco em algumas caminhadas mais longas com Mr. Salsicha. 
Enquanto a cidade grande está assim…



Oslo, faculdade de ciências jurídicas



A roça onde moro ainda está assim 



A neve estava tão fofa que até arrisquei um boneco


Não é dos maiores porque não tenho coluna pra isso. Porém, tenho certeza que vai inspirar minhas meninas a tentarem um maior.

Falando em faculdade, terminei anteontem meu trabalho final. Simplesmente uma-semana-antes-do- prazo, para a surpresa de meus colegas de classe. A maioria nem começou. E lá fui eu explicar que eu tive que fazer tudo antes porque tenho duas filhas e não posso me dar ao luxo de me trancar em um quarto por uns 3-4 dias para escrever. Preciso contar que não tenho fins de semana disponíveis, que a escola pode fechar para dia de planejamento, crianças adoecem e etc. Tudo acontece quando se está com prazo curto. Além disso, eu preciso separar um tempo para a minha professora de norueguês revisar meus textos, né? Enfim, ter uma organização é tudo e eu aprendi a duras penas. Hoje, com a cabeça mais relaxada, fiz alguns outros deveres de casa, só que a apatia pós almoço me pegou de vez. Não contei conversa e vim aninhar-me embaixo do edredom. 

Pensei no dia atípico que eu tive ontem, um dia muito bacana e especial. Tenho uma colega de classe, uma norueguesa que eu conheci semestre passado. Acho que sentamos uma ao lado da outra duas vezes, mas a sintonia/química foi instantânea. Só que eu parei de frequentar as aulas porque elas passaram a ser publicadas em vídeos no site da universidade, de modo que perdemos o contato e nunca mais nos vimos. Este semestre, para minha surpresa, quem estava na minha aula obrigatória de criminologia? Ela mesmo! Incrível! 

Ai que ontem ela me chamou para tomar um café na minha cafeteria favorita e lá conversamos sem parar. Muitos foram os assuntos, de professores, matérias, trabalhos, profissões a família e relacionamentos. Eu me abri com ela sobre a minha dificuldade em relação ao norueguês acadêmico e ao mesmo tempo que me senti aliviada por tratar desse assunto com alguém além de meu marido, senti também um certo desconforto. É assim, eu aprendi que não podemos nos abrir 100% com as pessoas e ela, que eu não conhecia direito, sabia sobre minhas notas, de meus desafios e meus anseios profissionais( que também são os dela). Ora, eu até lhe passei todas as dicas para conseguir o trabalho que eu tinha no aeroporto!

É medo de ser usada, eu sei. Medo de me decepcionar mais uma vez, de levar uma rasteira e de me odiar por permitir que os outros me façam de besta. Tipo cachorro machucado, sabe? A pessoa vai dar um carinho, mas o levantar da mão, o pobre só lembra as porradas que levou.Eu sei bem..

Imagens- Arquivo pessoal