Na biblioteca: Orange is the new black, Piper Kerman

Ah, a leitura. Eis uma das minhas maiores paixões. Lembro que ainda na infância, devorava os livros que minha mãe me dava ou os que a escola indicava. O primeiro deles foi ” A morte tem 7 herdeiros”, uma mistério infantil que mostra o comportamento dos herdeiros quando se trata de uma herança gorda. Não me lembro de tantos detalhes, recordo apenas que o final é bem surpreendente.

Em se tratando dos clássicos da nossa literatura brasileira, uma obra que me marcou profundamente foi “O Cortiço”. Eu cheguei a fazer um trabalho desenhando a minha interpretação da história. Recebi nota máxima por ele e o professor me pediu para si.

De lá pra cá, foram muitas lidas, algumas não concluídas e outras terminadas, mas a maioria tem um lugar aqui no meu coração.

Por isso, a categoria biblioteca será atualizada cada vez que eu concluir uma leitura, seja ela interessante ou não. É registro, é dica, é resenha que eu espero que seja de alguma utilidade para alguém.
  

Vamos lá a resenha:Esta é uma das raras vezes em que o filme é melhor que o livro. No caso de OITNB, a série.A vida de Piper Kerman não foi nem de longe tão agitada e problemática como na série. Só pra desanimar as fãs do casal ” Pipex”, não há romance entre as meninas na cadeia, não há descrição de briga com a fanática religiosa, não há traição nem grandes emoções. Tudo não passa de sua experiência na cadeia, alguns contos e curiosidades e só.
Eu fiquei desapontada porque eu queria mais detalhes daquele romance, entre outros acontecimentos que eu julgava ser fato real, tipo o Mendez(oh la la).

Leva só um cristal de neve, pelo trabalho de escrever o livro.

Nota:❄️

Imagem- Reprodução

Anúncios

God Morgen, Oslo: Parque Ekeberg

Domingo fez um lindo dia de outono, o sol marcou presença firme e forte de braços dado com um céu azul cinematográfico. Tenho pra mim que é assim porque os olhos não são acostumados com tons tão celestiais, de modo que cada céu azulado é algo a se comemorar.Por este motivo, o programa com a criançada teria que ser ao ar livre, em um parque, de preferência.
Pensamos em ir ao Frognerparken, famoso por suas estátuas e área verde. No entanto, aquele local não me agrada. É sempre muito cheia de turistas, o parquinho, além de perigoso para crianças pequenas ( as minhas tem entre 3 e 6), é um ambiente cheio de gente e muito estresse. Não é possível sentar-se na grama, relaxar e assistir a brincadeira pacificamente, nãooo. É pura tensão por medo de perder a criança na multidão, medo que ela se machuque ou magoe outras, não curto.Uma alternativa é o Ekebergparken.Eu costumo dizer que ele é a salvação para todos os males de um dia entediante.Ele tem verde, animais, playground, cafés, restaurantes, sorveteria, lagoas e um gramado perfeito para picnic e bronzeamento nos dias de sol.É um local que, apesar de também atrair muita gente, há diversas atividades que espalham um pouco esse povo todo. Os brinquedos são mais leves e há atividades para todos os gostos e bolsos.
Na primeira vez que lá fui, visitamos a fazendinha. Por algumas coroas norueguesas, é possível ter um contato maior com os animais, já que alguns circulam livremente pelo ambiente. Pavão, porco, galinha, vaca, bezerro, ovelha, pato, cavalo, coelho são os animais que me lembro ter visto. Além disso, há passeios de poney/cavalo e um café para descansar as pernas e forrar o estômago.

   

  

  

  

  

  

  

  

  

  

 

Do lado de fora, a imensidão. Vários parquinhos e um lago onde minhas meninas adoraram brincar. Foi uma delícia sentar-me na margem e assisti-las na maior farra com a água.
  

    
 
Como falei acima, há cafés e restaurantes do lado de fora também, só que o preço não é tão agradável. Por isso, levamos uma churrasqueira descartável, uns comes e lá fizemos um picnic. 
   
    
 
Foi muito relaxante conversar com minha amiga, ver as crianças se divertindo tanto, sentir o sol esquentar a pele, respirar o ar puro e receber a energia boa da natureza. Estou renovada!

Oslo me surpreende sempre!
Imagens- Arquivo pessoal

Ps.As fotos foram registradas em dias diferentes

Flipped: o primeiro amor

  
Eu tenho tanto para estudar, que até me dói lembrar que em um futuro não muito distante, farei prova. Mas eu não resisti, sábado tem mesmo essa áurea de preguiça e depois de um dia intenso com as meninas, eu só quero me entregar a uma bacia de chips e assistir filmes e mais filmes no Netflix. O eleito da vez foi Flipped, um romance adolescente, mas totalmente apropriado para todas as idades. Lembro-me que nem passou dos dez minutos de filme e eu já estava chorando copiosamente.

É uma história de amor entre dois adolescentes que se conheceram ainda bem criança. Cada um conta a sua versão dos fatos e isso nos mostra o quanto fazemos confusões por não sabermos o que o outro pensa.

O filme é muito especial porque me fez recordar de um tempo maravilhoso, um período da minha vida em que fui muito feliz. Reconheci o frio na barriga, o suspense, a inquietação que é se apaixonar por alguém, especialmente quando a coisa toda é platônica.

Eu não vou contar detalhes, mas digo apenas que quando a coisa toda começa a ficar boa, o filme acaba.

Linda história! Recomendo!

Na sacola: maleta de maquiagem

Eu simplesmente amo maquiagem. Sempre desejei ter um cantinho na minha casa onde pudesse me entregar ao prazer de compor uma make e cabelo bacana,me fazer linda e diva, como se acabasse de sair de um salão de beleza. No entanto, casa pequena e duas crianças curiosíssimas fizeram com que eu adiasse os planos de uma penteadeira carregada de produtinhos e socasse tudo em uma necessaire podrinha. O que acontecia era a maior dificuldade em achar os produtos nos momentos de pressa, sem falar os que esquecia ou perdia por ai.

Foi por isso que decidi investir na maletinha de make da Shelas :

   

Organização é tudo!
 
Coloquei tudo que tenho de make ai dentro e ainda sobrou espaço para os pincéis ( e outras aquisições futuras). Eu confesso que senti falta de mais compartimentos e sim, eu achava que fosse um tamanho menor. Não dá para colocar isso tudo em uma mala pequena. Se faz necessário uma mala gigante ou que seja carregada a parte, como bagagem de mão. Mas eu estou muito satisfeita por ter tudo em ordem e bem protegido, tanto em casa, como nas viagens que fizer no futuro.

Para quem está na Escandinávia, aqui o link https://www.blivakker.no/product/3051250/shela-s-pu-leather-cosmetic-case

Eu comprei por 399kr porque peguei promoção. Recomendo!
Imagem- Arquivo pessoal

Encontrando o a-ha

Certa vez, uma conhecida me contou que estava saindo de seu apartamento em Oslo e deu de cara com nada mais nada menos que o Morten Harket, vocalista do a-ha. Me julgue, mas eu sempre tive este desejo/vontade/sonho, andava pelas ruas da capital procurando o Morten e por isso fiquei muito contente quando soube da tarde de autógrafos em um famoso shopping do centro, o Oslo City.Era o lançamento do mais novo cd da banda, o Cast in Steel, um encontro com os fãs antes de seguirem viagem para a turnê na America do Sul.

Cheguei cedinho no local e tinha já tipo 50 pessoas na minha frente. Fomos muito bem tratados pela empresa organizadora do evento, a Platekompaniet nos serviu de refri a bolos e ainda distribuiu convites para um show/ensaio fechado no dia seguinte. Neste eu não pude ir, infelizmente. Ainda não superei o fato de ter uma reunião escolar bem no dia do show único e gratuito da banda.

 

 

um agrado p/fãs

 

Platekompaniet tá de parabéns! Assim os fãs merecem ser tratados!

fila nos dois andares

Então, na hora marcada o trio apareceu com aquele charme que só artista de peso e muito reconhecido tem. Sentaram-se e a fila de fãs começou a andar. Todo mundo com os telefones em ação, mas tudo muito contido e respeitador.
  
  
  
  
  

Na minha vez, eu que tinha ensaiado tanto, paralisei total, rsrs! Não tive coragem de agarrar pra beijinho nem fiz mais do que comprimentá-los formalmente, mas com um sorriso que não cabia dentro de mim.
E quer saber? Estou muito, mas muito feliz pela oportunidade de encontrar os musos de tão perto. Eu que assistia seus clips na infância, não imaginava que iria um dia morar na terra natal deles e finalmente encontrá-los ao vivo. Foi incrível!!!

 

lembrança de um dia feliz

O cd autografado que já não sai de minha vitrola… Bom trabalho, gutter!
Imagens-Arquivo pessoal

Reflexão de um dia chuvoso

Choque de realidade
Eu vou vivendo, sem perceber que envelheço. Já passo dos trinta, sou casada, tenho filhas que não são mais bebês, uma vida de adulta. Na maior parte do tempo, a rotina e correria me roubam a consciência das coisas. Mas o choque de realidade vem como se, do nada, acordasse de um sonho bom. Olho reflexiva para a boneca que repousa na cabeceira da minha cama. Penso: ” meu Deus, eu tenho crianças! Daqui a 10 anos, estarei com mais de quarenta anos, caminhando para os cinquenta! Terei adolescentes em casa e não mais bonecas esquecidas no meu quarto. Será que terei ascendentes?” Tento espantar o pensamento, imaginando que levará muito tempo até isso tudo acontecer, da mesma forma que fiz 10 anos atrás. A diferença é que eu nunca temi chegar aos trinta, muito pelo contrário. Este, pensava eu, seria o auge da vida. Então, melhor aproveitar, né?

  

Imagem- Arquivo pessoal, registro feito no centro de Oslo.

Bom dia, Oslo

Eu não moro na capital, mas preciso estar nela pelo menos dois ou três vezes por semana. E o engraçado é que só agora, após 9 anos vivendo neste país é que pude realmente conhecer esta cidade com mais calma. 
   
    
   
A cada rua que entro, quando vejo uma escultura ou prédio interessante, me pergunto onde estava com a cabeça que nunca havia notado aquilo antes. Pra você ver o quanto o excesso de informações faz com que atentemos menos para os detalhes.
  
 
Agora, caminho por Oslo com olhos de turista, sempre parando para uma foto ou contemplação mais demorada.
   
    
    
    
 
Os registros da exploração eu deixarei aqui sob a categoria “Bom dia, Oslo” ou neste espaço próprio que fiz algumas semanas atrás.

Imagens- Arquivo pessoal

Apresentação

Nordestina

Natalense

33 vidas

Escorpiana

Casada com sueco

Residente na Noruega há 9 anos

Duas filhas

Um dachshund

Católica de criação

Estudante de Criminologia

Amante da chuva

Leitora compulsiva

Louca por cosméticos

Boa de garfo

Sushilover

Fashioncurious

Persistente

Amigável

Apaixonada por fotografia

Acho que é um bom começo, não é?Muito prazer!

  
Imagem- Arquivo pessoal

Quebrando o gelo

Há tempos tenho tido o grande desejo de me comunicar com o mundo. No entanto, antes que pudesse escrever algumas linhas aparecia sempre uma tarefa mais importante ou eu estava cansada demais para assumir a responsabilidade. Agora, preciso dizer, nada mudou. Só a vontade de blogar que está muito maior e me motivou a abrir uma nova conta no wordpress. Cá estou. 
  
O blog ainda está uma bagunça, saiu agorinha do forno, paciência. Com o tempo, o deixarei mais a minha cara, assim como fazemos na casa nova. Mudando a pintura, fixando alguns quadros, montando os móveis, vamos batendo um papinho gostoso. Acenda a lareira, puxe acadeira e fique à vontade. O inverno está apenas começando.